Racha

De olho em 2022, Doria quer assumir o PSDB. Atual presidente da sigla, Bruno Araújo não foi comunicado

Gesto do governador de São Paulo acabou dividindo o partido. Segundo a Folha de S. Paulo, maior parte do partido está do lado do ex-deputado federal pernambucano e quer a sua recondução ao cargo

Renata Monteiro
Renata Monteiro
Publicado em 10/02/2021 às 17:41
Notícia
RICARDO B. LABASTIER/ACERVO JC IMAGEM
PSDB Bruno Araújo disse que nome dela é prioridade nacional da sigla - FOTO: RICARDO B. LABASTIER/ACERVO JC IMAGEM
Leitura:

A cúpula nacional do PSDB está rachada devido a um movimento do governador de São Paulo, João Doria, no sentido de unir o partido em torno de um projeto de oposição ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido). A crise partidária, divulgada na última terça-feira (9) pela Folha de S. Paulo, atingiria diretamente o pernambucano Bruno Araújo, atual presidente da agremiação, pois um dos planos de Doria seria assumir o comando da sigla no próximo mês de maio, enquanto Araújo esperava que seu mandato fosse prorrogado.

A ideia de Doria, que trabalha para ser o candidato da sigla nas eleições presidenciais de 2022, é controlar o PSDB às vésperas do pleito e colocar todo o partido na oposição a Bolsonaro. Atualmente, uma ala da legenda é aliada do governador, e outra tem grande proximidade com o Palácio do Planalto. Quase metade da bancada tucana na Câmara dos Deputados, inclusive, votou no postulante de Bolsonaro à presidência da Casa, o deputado Arthur Lira (PP), que venceu a disputa.

>> ''Ciclo PT/PSB entrou em colapso em Pernambuco", diz Bruno Araújo, presidente do PSDB

>> PSDB vai reagir a 'qualquer posição autoritária' de Bolsonaro, diz Bruno Araújo

>> Governadores do NE tratam Previdência como 'demônio', diz Bruno Araújo

>> O futuro do PSDB em Pernambuco

Durante esta semana teria ocorrido um jantar com integrantes da cúpula do PSDB na sede do governo de São Paulo em que aliados de Doria apresentaram um plano para que ele assumisse a presidência do partido, fato que teria pego Bruno Araújo de surpresa. O ex-deputado federal e ex-ministro pernambucano foi procurado pelo JC para comentar as informações, mas não respondeu à tentativa de contato.

Nesta quarta-feira (10), a Folha voltou a tratar sobre o tema, afirmando que, após o jantar com Doria, Bruno recebeu o apoio da maior parte da agremiação através de mensagens e ligações. A reportagem menciona que todos os diretórios estaduais, exceto o de São Paulo, estão do lado do atual presidente da sigla. "Ainda de acordo com parlamentares próximos a Araújo, ele também recebeu o contato da maior parte dos deputados e senadores tucanos do Congresso", afirma o texto.

A matéria menciona que Bruno pretende ser reconduzido à presidência do partido após o fim do seu mandato. Em 2020, durante entrevista ao Jornal do Commercio, Bruno Araújo afirmou que se afastaria da vida pública depois de deixar o comando do PSDB em 2021.

No jantar com Doria, diz a Folha, o líder do PSDB na Câmara, Rodrigo de Castro, teria dito que o governador não tem o apoio de nenhum parlamentar de fora do Sudeste e que a maior parte da bancada iria apresentar uma proposta para que Bruno siga no cargo e que o governador do Ruo Grande do Sul. Eduardo Leite, seja o candidato tucano à presidência em 2022.

Comentários

Últimas notícias