Presidente

Em Pernambuco, Bolsonaro dá início aos testes do Ramal do Agreste

O presidente estava acompanhado de aliados, como Fernando Bezerra Coelho

JC
Cadastrado por
JC
Publicado em 19/02/2021 às 12:14 | Atualizado em 19/02/2021 às 14:31
NAYARA VILA NOVA/TV JORNAL INTERIOR
Presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ao lado de aliados como o senador Fernando Bezerra Coelho, o prefeito Miguel Coelho e o deputado federal Pastor Eurico em visita anterior ao sertão. - FOTO: NAYARA VILA NOVA/TV JORNAL INTERIOR
Leitura:

O presidente Jair Bolsonaro desembarcou em Pernambuco, nesta sexta-feira (19), para dar início aos testes e pré-operação do 1° trecho do Ramal do Agreste, na Estrutura de Controle do Reservatório Barro Branco, em Sertânia, Sertão do Estado.

Acompanhado de aliados pernambucanos como o senador Fernando Bezerra Coelho, o prefeito de Petrolina, Miguel Coelho, e o deputado federal Pastor Eurico, Bolsonaro estava sem máscara de proteção à covid-19, como de costume, enquanto caminhava em meio a outras pessoas até o acionamento das comportas do primeiro trecho (chamado de Marco 1). Ele cumprimentou funcionários da obra, teve seu ministro do Turismo, Gilson Machado, tocando sanfona e ouvir gritos de "água para o Nordeste. 'Dale' Bolsonaro", durante a cerimônia. 

A estrutura do Ramal do Agreste, em conjunto com a Adutora do Agreste, deve distribuir a água do Eixo Leste do Projeto de Integração do Rio São Francisco para até 2,2 milhões de pessoas.

O ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, também participou do evento. "Garantir água de qualidade para a população e para impulsionar o desenvolvimento das nossas regiões são nossas grandes missões. Por orientação do presidente Jair Bolsonaro, fizemos todo o empenho para garantir os recursos necessários para a continuidade desse empreendimento e, hoje, avançamos mais um importante passo para a garantia de oferta hídrica no Nordeste”, afirmou o ministro em material enviado à imprensa.

Confira como foi a cerimônia:

O acionamento das comportas possibilita o início dos testes na estrutura e o enchimento do sistema adutor até o Reservatório Góis. Após a testagem de todas as estruturas do Ramal e, posteriormente, da Adutora do Agreste, o abastecimento poderá ser iniciado.

Após sair de Barro Branco, as águas passam por oito trechos de canais, quatro sifões e três túneis, que somam 37,4 quilômetros, até chegarem ao Reservatório Góis, que tem capacidade de armazenar 14,7 milhões de metros cúbicos de água. Toda essa estrutura integra o Marco 1 do Ramal do Agreste, que ainda é composto por mais dois trechos, com previsão de conclusão até julho de 2021. O tempo estimado de testes é de 80 dias.

Ramal do Agreste

No total, o Ramal do Agreste tem 70,8 quilômetros de extensão e capacidade de vazão de 8 mil litros de água por segundo. Quando finalizado, vai levar as águas do Eixo Leste do Projeto São Francisco, que está em pré-operação desde 2017, à região de maior escassez hídrica de Pernambuco.

A obra, executada diretamente pelo Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), tem investimento federal total de R$ 1,67 bilhão, dos quais R$ 1,3 bilhão já foram empregados. Desse montante, 88% dos recursos foram liberados no governo do presidente Jair Bolsonaro. Cerca de 2,6 mil trabalhadores atuam no empreendimento, que está com 84,15% de execução.

O Ramal do Agreste vai alimentar a 1ª etapa da Adutora do Agreste, que possui 690 quilômetros de extensão. Com a conclusão dos dois empreendimentos, 1,3 milhão de habitantes em 23 cidades pernambucanas terão abastecimento regular. Quando a 2ª etapa da Adutora do Agreste, com mais 710 quilômetros, for concluída, os beneficiários podem chegar a até 2,2 milhões de habitantes em 68 municípios.

A 1ª etapa da Adutora do Agreste está com 69% de execução e tem previsão de conclusão em dezembro de 2021. O investimento federal é de R$ 1,25 bilhão.

Comentários

Últimas notícias