COVID-19

Covid-19: Priscila Krause critica Prefeitura do Recife por deixar 122 ventiladores pulmonares parados

Equipamentos estavam nos hospitais de campanha dos Coelhos e da Imbiribeira, que foram fechados

Paulo Veras
Paulo Veras
Publicado em 11/03/2021 às 19:37
JARBAS ARAÚJO/ALEPE
Deputada Priscila Krause - FOTO: JARBAS ARAÚJO/ALEPE
Leitura:

Atualizada às 20h52

A deputada Priscila Krause (DEM) criticou a Prefeitura do Recife por deixar parados equipamentos e insumos para o combate à pandemia de covid-19 após o fechamento de dois hospitais de campanha nos Coelhos e na Imbiribeira. Entre os equipamentos que estão parados no pátio da Emlurb e da Secretaria de Saúde, estão 122 ventiladores pulmonares. Segundo a parlamentar, esses equipamentos poderiam ser colocados em uso ou ofertados ao governo do Estado, no momento em que o número de casos do novo coronavírus tem crescido substancialmente em Pernambuco.

"Na semana em que o governador declara a aquisição de, por exemplo, 220 novos respiradores, com a entrega de 79. Que diz que, se necessário for, abrirá 50 novos leitos por semana no Estado de Pernambuco, a gente traz aqui uma cobrança e um apontamento de caminho, para que isso seja feito de forma célere", diz a deputada do DEM. A lista também inclui 43 monitores, 105 concentradores de oxigênio e 328 camas.

Ao todo, os insumos representam mais de R$ 26 milhões, entre equipamentos eletrônicos, medicamentos, materiais descartáveis e EPIs. "São 328 camas, 248 bombas de infusão. Isso nós estamos falando em equipamentos. Mas se a gente for falar de insumos tem mais de 74 mil unidades de aventais descartáveis, mais de 1,8 mil unidades de sistema fechado de respiração traqueal. Que, inclusive, foram compradas a preço muito suspeito e numa quantidade muito superdimensionada", criticou a deputada.

Órgãos de controle

Atualmente, um convênio entre a prefeitura e o Estado permite o uso desses equipamentos de forma onerosa ou gratuita. "Essa lista estará sendo remetida ao Ministério Público de Contas, ao Ministério Público do Estado e ao Ministério Público Federal para que acompanhem as ações e as buscas de soluções. O povo do Recife pagou muito caro por esses equipamentos. Eles não podem estar jogados no pátio da Emlurb, como é o caso dos respiradores. Estão apenas amontoando e não sendo usados. No momento em que a população precisa, talvez mais do que nunca, desse atendimento", afirmou Priscila.

As informações foram repassadas pela própria prefeitura, atendendo a um pedido de informação ingressado pela deputada em setembro de 2020. Apesar do prazo legal de um mês para resposta, dado pela Lei de Acesso à Informação, os dados só foram repassados depois que a parlamentar entrou com um mandado de segurança na Justiça, obrigando o município a prestar as informações.

Durante a sessão da Assembleia Legislativa em que levantou o tema, nenhum deputado da base do governo saiu em defesa do prefeito João Campos (PSB) ou do ex-prefeito Geraldo Julio (PSB), atual secretário estadual de Desenvolvimento Econômico.

Resposta

Em nota, a Prefeitura do Recife negou que existam respiradores parados na rede municipal. "Os respiradores que ajudaram a salvar vidas durante o primeiro pico da pandemia continuam com a mesma função nos leitos que foram ativados no Hospital da Pessoa Idosa e nas policlínicas municipais, onde funcionarão leitos de sala vermelha", afirma o texto.

Segundo o município, parte dos materiais que integraram a estrutura física dos hispitais de campanha estão sendo utilizados para melhorar o funcionamento das unidades existentes na rede. Além disso, parte dos insumos estão sendo utilizados para colocar em funcionamento a central de distribuição de doses de vacina de covid-19 e os 16 pontos de vacinação.

Comentários

Últimas notícias