AGRESSÕES

Vídeo: deputado Joel da Harpa e comandante da Polícia Militar trocam empurrões durante vacinação de agentes

O caso aconteceu nesta quinta-feira (8), quando o parlamentar tentava entrar no auditório do 6º BPM, em Prazeres, para acompanhar a vacinação contra covid-19

Rute Arruda
Rute Arruda
Publicado em 08/04/2021 às 16:56
Notícia
REPRODUÇÃO DE VÍDEO
Joel da Harpa esteve no 6º Batalhão da PM para fiscalizar a vacinação de policiais, mas não pôde entrar em um auditório - FOTO: REPRODUÇÃO DE VÍDEO
Leitura:

atualizada às 17h46

O comandante do 6º Batalhão da Polícia Militar, coronel Tavares, e o deputado estadual Joel da Harpa (PP) trocaram agressões nesta quinta-feira (8). O caso aconteceu durante a manhã, quando o parlamentar tentava entrar no auditório do Complexo Policial de Jaboatão, no bairro de Prazeres, para acompanhar a vacinação contra o novo coronavírus de policiais. A imunização dos profissionais teve início nesta quinta em postos montados no 1º BPM, em Olinda, no 6º BPM, em Jaboatão, e no 1º BPTran, no Recife. 

>> Confusão entre Joel da Harpa e comandante da PM: até onde vai o poder fiscalizador de um parlamentar?

>> Coronel da PM que trocou agressões com deputado Joel da Harpa é dispensado do comando do Batalhão

>> Policiais militares de Pernambuco começam a ser vacinados contra a covid-19

>> Pernambuco inicia vacinação de profissionais das forças de segurança e salvamento

>> Confira cronograma do curso de formação dos novos policiais em Pernambuco

Por meio de um vídeo, gravado inicialmente pelo próprio Joel da Harpa, é possível observar o momento em que o deputado afirma que iria mostrar a vacinação. No entanto, antes de conseguir entrar, o comandante diz: "o senhor não vai passar para o auditório", repetidas vezes.

Em seguida, Joel da Harpa rebate: "Vai se colocar na minha frente?". Em determinado momento, o deputado e o comandante da PM ficam frente a frente, e Joel da Harpa afirma que não iria se retirar e questiona: "Vai me tirar?". O comandante responde ao afirmar que sim, e tenta puxar o parlamentar. A partir deste momento, os dois trocam agressões.

"O oficial no pátio do quartel, em frente aos militares presentes me disse que eu não poderia entrar no quartel, nem tirar foto de minha visita, eu falei para ele que sou deputado e estava fiscalizando o Poder Executivo. O mesmo coronel continuou a impedir minha entrada e não respeitou a minha prerrogativa de deputado e de fiscalizador do Poder Executivo", relatou o deputado, por meio de nota.

Por meio de nota, a Polícia Militar informou que o deputado estadual foi impedido de entrar na sala de vacinação porque não estava utilizando máscara. "Sem comunicação prévia e sem utilizar máscara, o deputado chegou à unidade militar e foi permitido seu acesso à área externa e algumas dependências do batalhão, onde pode realizar filmagens", diz um trecho.

A PM também disse que o acesso ao auditório estava restrito aos profissionais que iriam receber a vacina e aos técnicos responsáveis pela aplicação do imunizante, "de modo a evitar aglomerações ou tumultos".

>> Governo de Pernambuco reconhece que cursos de formação das polícias não têm previsão

>> Aprovados cobram cronograma de cursos de formação dos policiais em Pernambuco; SDS se cala

>> Vídeo: Policial militar é baleado em tentativa de assalto no Recife

>> Prefeitura de Camaragibe e Polícia Militar reativam Batalhão em Aldeia

Leia a íntegra:

"A Polícia Militar informa que, na manhã desta quinta-feira (08/04), o deputado Joel da Harpa, sem utilização de máscara para prevenção à transmissão de COVID-19, tentou entrar na sala de vacinação instalada na sede do 6º Batalhão, em Prazeres, e foi impedido em respeito à normas sanitárias. Sem comunicação prévia e sem utilizar máscara, o deputado chegou à unidade militar e foi permitido seu acesso à área externa e algumas dependências do batalhão, onde pode realizar filmagens.

No entanto, o parlamentar quis entrar na sala onde estava ocorrendo a vacinação dos militares contra o Covid-19, que estava com acesso permitido apenas para o pessoal que iria tomar a vacina e os técnicos responsáveis pela aplicação do referido imunizante, de modo a evitar aglomerações ou tumultos, além da exigência de equipamento de proteção individual. Tudo em conformidade com o que prevê o Decreto governamental acerca das medidas restritivas, em nosso Estado, em vigor.

Mas, após os ânimos se exaltarem, tudo foi esclarecido entre as partes. O primeiro dia de vacinação da PMPE foi um sucesso com mais de 300 imunizações e o processo vai continuar amanhã, de forma descentralizada, com postos no 6º BPM (Jaboatão), BPtran (Recife) e 1º BPM (Olinda), tudo visando dar mais segurança e tranquilidade ao trabalho de homens e mulheres que estão na linha de frente da segurança pública e no cumprimento das normas de combate à pandemia".

Comentários

Últimas notícias