Câmara dos Deputados

"Vitória da vida, da saúde e da ciência", comemora Daniel Coelho após aprovação do cultivo de cannabis para uso medicinal e industrial

Durante as discussões, Daniel Coelho compartilhou um drama familiar para defender a liberação do cultivo para fins medicinais; projeto ainda vai ao Senado

JC
Cadastrado por
JC
Publicado em 08/06/2021 às 18:16 | Atualizado em 08/06/2021 às 19:51
DIVULGAÇÃO/CIDADANIA
O deputado Daniel Coelho se pronunciou sobre a desistência de Doria - FOTO: DIVULGAÇÃO/CIDADANIA
Leitura:

Uma comissão especial da Câmara dos Deputados aprovou, nesta terça-feira (8), o projeto que libera o cultivo, por empresas, da cannabis para fins medicinais e industriais. Da Cannabis também se produz a maconha e por isso houve polêmica durante a tramitação da proposta no colegiado.

>> Maior encontro nacional sobre Cannabis Medicinal confirma presença de ministra do STF

>> Para Daniel Coelho, deputados que tentam impedir aprovação da cannabis medicinal fazem 'jogo eleitoral'

>> "Na memória [do meu filho], a mãe vivia na cama. Hoje, ela passou a ter uma vida normal", diz Daniel Coelho em defesa da cannabis medicinal na Câmara; veja vídeo

O texto tramitou de forma conclusiva pela comissão, o que significa que seria enviado diretamente ao Senado. No entanto, deputados contrários ao projeto afirmaram que apresentarão recurso e a proposta pode ser discutida no plenário da Câmara. A votação ficou empatada em 17 a 17. Coube ao relator da matéria, deputado Luciano Ducci (PSB-PR), desempatar favoravelmente ao texto.

O deputado federal pernambucano Daniel Coelho (Cidadania) que já tinha feito um emocionado discurso na comissão em favor da aprovação, comemorou: Vitória da vida, da saúde e da ciência. Aprovado o relatório para produção da cannabis medicinal, escreveu ele no Twitter.

No mês passado, durante as discussões, Daniel usou um exemplo familiar para justificar o seu apoio à proposta. Segundo o parlamentar, a sua esposa, a nutricionista Rebeca Coelho, que está em tratamento contra um câncer, tem utilizado o óleo da cannabis para reduzir os efeitos colaterais da quimioterapia.

"Eu tenho dois filhos, Lucas e Helena, e sou casado com Rebeca. Há cerca de dois anos, eu fui buscar os meus filhos na escola e terminei sendo chamado pela professora para ela entender um desenho que o meu filho tinha feito na sala de aula. Quando foi solicitado para ele desenhar a sua família, ele desenhou o pai trabalhando e a mãe na cama, dormindo. Na memória dele, a mãe vivia na cama. A minha esposa há dois anos faz um tratamento de quimioterapia e por muito tempo ela teve de abdicar das próprias atividades de mãe e das suas atividades profissionais como nutricionista. De alguns meses para cá, baseada em uma liminar e com um custo altíssimo - que graças a Deus a nossa família pode pagar -, ela começou a utilizar o óleo de cannabis. Hoje, ela continua o tratamento, mas não mais na cama. (...) Após o uso do óleo da cannabis, ela diminuiu o uso de corticoides, parou de enjoar, de vomitar e passou a ter uma vida normal", declarou o deputado pernambucano.

'Palanque'

Nesta terça-feira, Daniel fez mais um apelo antes da aprovação. Ele havia sido tirado da comissão. Contudo, foi recolocado para orientar o voto da bancada. "Fico feliz por mais um avanço nessa matéria tão importante para a saúde das pessoas. Mesmo retirado da comissão, consegui fazer uma fala que foi decisiva no entendimento do relatório", comentou Daniel Coelho.

THIAGO FAGUNDES/AGÊNCIA CÂMARA
Medicamentos feitos com cannabis - THIAGO FAGUNDES/AGÊNCIA CÂMARA

Em sua fala na comissão, o deputado fez um apelo aos parlamentares que usam o tema para o que chamou de "palanque eleitoral". "Usem outros temas, existem outros debates. Existem outros momentos onde vocês podem reforçar a polarização", disse Daniel Coelho, reiterando a importância da matéria para a saúde de crianças, adultos e idosos.

THIAGO FAGUNDES/AGÊNCIA CÂMARA
Medicamentos feitos com cannabis - FOTO:THIAGO FAGUNDES/AGÊNCIA CÂMARA

Comentários

Últimas notícias