declaração

Comandante da Aeronáutica diz que nota de militares foi "alerta às instituições"

O comandante da Aeronáutica, tenente-brigadeiro do ar Carlos de Almeida Baptista Junior, negou que as Forças Armadas estejam ameaçado golpe

Douglas Hacknen
Douglas Hacknen
Publicado em 09/07/2021 às 19:43
Notícia
 Divulgação/FAB
Tenente-Brigadeiro do Ar Carlos de Almeida Baptista Junior - FOTO: Divulgação/FAB
Leitura:

O comandante da Aeronáutica, tenente-brigadeiro do ar Carlos de Almeida Baptista Junior, negou, em entrevista publicada nesta sexta-feira (9) pelo jornal O Globo, que as Forças Armadas estejam ameaçando um golpe. Segundo o militar, a nota divulgada esta semana pelo Ministério da Defesa, foi um "alerta às instituições".

"Homem armado não ameaça. Não existe isso. Nós não vamos ficar aqui ameaçando. O presidente do Senado [Rodrigo Pacheco] foi bastante feliz na sua colocação. As autoridades precisam entender o que está por trás da autoridade. Nós precisamos entender que o ataque pessoal do senador [Omar Aziz, presidente da CPI da Covid] à instituição militar não é cabível a alguém que deseje ser tratado como Vossa Excelência", disse o chefe da Aeronáutica.

Na última quarta-feira (7) o Ministério da Defesa e os comandantes do Exército, Marinha e Aeronáutica repudiaram as declarações do presidente da CPI da Covid, senador Omar Aziz (PSD-AM), sobre as Forças Armadas. Em nota, os militares dizem que "não aceitarão qualquer ataque leviano" a eles.

Aziz havia dito fazer "muitos anos" que o Brasil não via "membros do lado podre das Forças Armadas envolvidos com falcatrua dentro do governo". Declaração ocorreu durante o depoimento do ex-diretor de Logística do Ministério da Saúde Roberto Dias, que acabou preso.

Para o tenente-brigadeiro, a nota foi "dura", mas no tom certo: "como deveria ser". "Cada instituição do País tem a obrigação de se preocupar com a democracia e o respeito às instituições. E nós, instituição militar, não abriremos mão disso", afirmou o chefe da Aeronáutica.

Comentários

Últimas notícias