IR

Deputados governistas e de oposição comemoram aprovação de novas regras do Imposto de Renda

Entre outras medidas, o texto aprovado pela Câmara altera a faixa de isenção do IRPF, que passa de R$ 1.903,98 para R$ 2.500 mensais

Agência Câmara
Cadastrado por
Agência Câmara
Publicado em 02/09/2021 às 18:34 | Atualizado em 02/09/2021 às 18:40
Marcello Casal JrAgência Brasil
A cúpula menor, voltada para baixo, abriga o Plenário do Senado Federal. A cúpula maior, voltada para cima, abriga o Plenário da Câmara dos Deputados. - FOTO: Marcello Casal JrAgência Brasil
Leitura:

Deputados de partidos da base governista e de oposição comemoram a aprovação do projeto que altera as regras do Imposto de Renda (PL 2337/21). A votação foi concluída nesta quinta-feira (2), no Plenário da Câmara. O texto segue agora para o Senado.

Para o deputado General Peternelli (PSL-SP), as mudanças feitas pelo relator do projeto, deputado Celso Sabino (PSDB-PA), corrigiram distorções e beneficiaram os mais pobres. "No saldo final, a maioria vai pagar menos impostos, e uma pequena parcela vai ter um pequeno aumento. Isso é adequado a um País que precisa de redistribuição de renda."

O deputado Afonso Florence (PT-BA) considerou a votação uma vitória da oposição. "Conseguimos garantir a tributação sobre lucros e dividendos, a extinção de juros de capital próprio, a revisão da tabela do Imposto de Renda e a ampliação do acesso à declaração simplificada. Este projeto incorporou a pauta de reivindicação histórica da oposição."

Já o deputado Coronel Tadeu (PSL-SP) ressaltou que o projeto vai aliviar a carga tributária de muitos. "Não dá para atender todos os interesses, mas a maioria desses interesses foram atendidos", comentou.

O líder do DEM, deputado Efraim Filho (DEM-PB), destacou a redução da carga tributária para as micro e pequenas empresas. "Este é o País que produz, que gera empregos e oportunidades."

Entre outras medidas, o texto aprovado pela Câmara altera a faixa de isenção do IRPF, que passa de R$ 1.903,98 para R$ 2.500 mensais. Lucros e dividendos serão taxados em 15%.


Comentários

Últimas notícias