TENSÃO

Três grandes atos ocorrerão neste 7 de setembro no Recife; confira quais

Partidos e movimentos de apoio ao presidente Bolsonaro vão promover carreata e passeata na Zona Sul. As organizações ligadas à esquerda e aos direitos humanos vão promover a 27ª edição do Grito dos Excluídos e das Excluídas

Angela Fernanda Belfort
Angela Fernanda Belfort
Publicado em 06/09/2021 às 14:43
Notícia
MARCOS CORRÊA/PR
Bolsonaro deve participar de atos de apoiadores em Brasília e em São Paulo - FOTO: MARCOS CORRÊA/PR
Leitura:

A capital pernambucana terá, pelo menos, três grandes atos neste 7 de setembro, dia que marca a independência do País. Os movimentos e partidos de direita farão dois atos: uma passeata - liderada pela Aliança por Pernambuco e pelo Movimento Direita Pernambuco - e a carreata da "Independência Dia 07/Dia D pela nossa liberdade", organizada pelo B38. Ambas ocorrerão na Zona Sul do Recife. O terceiro grande ato será a 27ª edição do Grito dos Excluídos e das Excluídas realizado pelo Fórum Dom Helder Camara e que vai contar com a participação de movimentos ligados à esquerda e à defesa dos direitos humanos.

Ambos os atos da direita marcaram a concentração às 10 horas. Liderada pelo Movimento Direita Pernambuco entre outros, a passeata vai se concentração em frente a Padaria Boa Viagem, seguindo até o Segundo Jardim, também em Boa Viagem. Já a concentração da carreata acontecerá na Imbiribeira, próximo ao Banco do Brasil. De lá, os participantes devem ir até a Padaria Boa Viagem e encerrar também no Segundo Jardim. 

"São mais de 10 grupos de direita que fizeram as convocações.  A nossa expectativa é grande de juntar em torno de 30 mil pessoas", diz um dos líderes do Movimento Direita Pernambuco, Mateus Henrique de Souza, se referindo a caminhada. Ao ser questionado sobre a realização de um ato deste numa pandemia, ele respondeu que "boa parte das pessoas já estão vacinadas e quem quiser pode ter todos os cuidados necessários" com relação à contaminação pelo coronavírus. Os organizadores também vão vender máscaras por R$ 4 durante a passeata.

Mateus disse também que os organizadores desejam que o evento seja pacífico e tranquilo. "O evento ocorre em alusão à independência do Brasil tocando nas feridas do Supremo Tribunal Federal (STF) que está mandando prender jornalistas, professores e deputados sem o devido processo legal", afirmou Mateus. E acrescentou: "opinião não pode ser motivo de prisão. O que pode dar prisão são opiniões que incluam racismo, preconceito e agressões". Segundo ele, os organizadores protocolaram um ofício na Polícia Militar dizendo as informações do evento. Os atos de apoio ao presidente devem contar com a participação de políticos como os deputados estaduais Clarissa Tércio e Alberto Feitosa, ambos do PSC.

O STF é a instância máxima da Justiça no Brasil e o presidente Jair Bolsonaro chegou a propor, ao Senado, o impeachment de um dos ministros daquele tribunal, Alexandre de Moraes, que mandou prender o ex-deputado bolsonarista Roberto Jefferson depois dele pedir o fechamento da Suprema Corte e a cassação de todos os seus ministros. O pedido do presidente não foi aceito pelo Senado

Grito dos Excluídos

A 27ª edição do Grito dos Excluídos e das Excluídas tem como tema a "Vida em Primeiro Lugar" e a concentração do evento será às 10 horas na Praça do Derby, área central do Recife. De lá, os participantes vão sair em caminhada pela Conde da Boa Vista indo até a Praça do Carmo, no Centro. "A concentração só vai durar, no máximo, uma hora, por causa da pandemia. Não temos uma expectativa fechada, mas esperamos que venham mais pessoas do que no ano passado, quando mais de 5 mil pessoas participaram do evento", conta o presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Paulo Rocha. A CUT é uma da apoiadoras da iniciativa.  Os organizadores do evento estão pedindo para os participantes usarem uma máscara boa, levarem o álcool 70 ou em gel e praticarem o distanciamento social para evitar a contaminação pelo coronavírus. 

"Questionamos a independência, porque até hoje ela foi incompleta. Temos resquícios da escravidão, discriminação do povo negro, das mulheres, dos trabalhadores, fome, falta de assistência à saúde e muito desemprego", comentou Paulo Rocha.  Além da CUT, devem participar do protesto os movimentos de luta de mulheres, de negros, sem teto, sem terra, sindicatos, partidos ligados à esquerda e o Fora Bolsonaro. 

Uma das organizadoras do Grito dos Excluídos, Sandra Gomes, que faz parte da coordenação do Fórum Dom Helder Câmara, disse que os "movimentos sociais não podem se calar diante do aumento da miséria, da fome, do desemprego, da falta de moradia e saúde. Já estava ruim antes da pandemia e piorou. Também estamos protestando contra o negacionismo do governo federal que contribuiu para o desastre desta pandemia. Muitas mortes poderiam ter sido evitadas", concluiu Sandra. Desde o começo da crise sanitária, faleceram 582.670 brasileiros por causa das consequências da covid-19. 

Segurança dos três atos

Ao ser questionada de como será a segurança dos três eventos, a Polícia Militar de Pernambuco (PMPE)  informou, em nota, "que atuará, conforme planejamento operacional elaborado ao longo da semana para garantir que o exercício da democracia seja realizado de forma pacífica nas manifestações do feriado de 7 de setembro. O detalhamento de lançamento de efetivo não será divulgado por questões estratégicas. A PMPE não propaga previsão do número de participantes com expectativa em eventos, visando evitar especulações. O efetivo que será lançado nos locais atuarão dentro da técnica, legalidade, da prevenção à violência e proteção do cidadão. Isso baseado na recomendação recebida do Ministério Público de Pernambuco, solicitando uso moderado da força em caso de intervenção no terreno, observando o direito à vida, à liberdade e à integridade física da população, bem como à liberdade de expressão, manifestação do pensamento e de reuniões em locais abertos ao público".

Um dos últimos eventos promovidos por partidos de esquerda no Recife deixaram pessoas feridas em confronto com a PMPE, incluindo dois homens que iam passando no momento do protesto e perderam a visão: Daniel Campelo da Silva, de 51 anos, e Jonas Correia de França, de 29 anos.  

O governo de Pernambuco já informou que só poderão participar dos protestos os PMs que estejam de folga. Nesta segunda-feira (6), o governador Paulo Câmara (PSB) disse que serão punidos todos os PMs que descumprirem a hierarquia no 7 de setembro

Comentários

Últimas notícias