MINISTRO DA SAÚDE

"Ficarei em quarentena nos EUA, seguindo todos os protocolos", diz Queiroga após testar positivo para covid-19

É o segundo caso de um infectado por coronavírus na comitiva que acompanhou o presidente Bolsonaro nos Estados Unidos

Amanda Azevedo Estadão Conteúdo
Amanda Azevedo
Estadão Conteúdo
Publicado em 22/09/2021 às 0:14
Notícia
ISAC NÓBREGA/PR
Queiroga (de máscara azul) também acompanhou Bolsonaro em visita ao memorial do 11 de setembro - FOTO: ISAC NÓBREGA/PR
Leitura:

Após testar positivo para covid-19 enquanto está em Nova York, nos Estados Unidos, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, foi às redes sociais afirmar que cumprirá quarentena no País. Queiroga esteve no plenário da Organização das Nações Unidas (ONU) nesta terça-feira (21), onde o presidente Jair Bolsonaro discursou.

Por causa do teste positivo do ministro, a diplomacia brasileira decidiu suspender a presença de diplomatas nas reuniões previstas para ocorrer nesta quarta-feira (22) na Assembleia Geral da Nações Unidas. É o segundo caso de um infectado por coronavírus na comitiva que acompanhou o presidente Bolsonaro nos Estados Unidos.

"Comunico a todos que hoje testei positivo para covid-19. Ficarei em quarentena nos Estados Unidos, seguindo todos os protocolos de segurança sanitária. Enquanto isso, o Ministério da Saúde seguirá firme nas ações de enfrentamento à pandemia no Brasil. Vamos vencer esse vírus", escreveu Queiroga no Twitter.

Além do evento desta terça-feira, Queiroga também encontrou o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, em reunião bilateral na segunda-feira. Um dia antes, portanto, do diagnóstico de covid. Na terça, Johnson se encontrou com o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, na Casa Branca. O britânico e o americano estavam usando máscaras.

O ministro da Saúde não embarcou de volta a Brasília com Bolsonaro por isso. Ele ficou em Nova York, onde deverá cumprir uma quarentena de 14 dias.

No discurso desta terça-feira, 21, o presidente Jair Bolsonaro defendeu o chamado "tratamento precoce" contra covid-19 - em referência a medicamentos comprovadamente ineficazes contra a doença, como hidroxicloroquina e ivermectina - e se colocou contrário a "passaportes de vacinação".

Na quinta-feira passada, 16, Queiroga afirmou que partiu de Bolsonaro a orientação para rever a vacinação de adolescentes. A pasta recomendou a interrupção da aplicação de doses em pessoas de 12 a 17 anos sem comorbidades, como diabete, problema cardíaco ou deficiência física, seguindo caminho contrário ao de órgãos especializados no tema no Brasil e no mundo.

Na cidade americana, Queiroga esteve na foto comendo pizza ao ar livre junto ao presidente da Caixa Econômica Federal Pedro Guimarães, o ministro do Turismo Gilson Machado, o presidente Jair Bolsonaro e o ministro Luiz Eduardo Ramos (Secretaria-Geral da Presidência). Como revelou o Estadão, Ramos recomendou para Queiroga por o "pau na mesa" em encontro bilateral com o primeiro-ministro britânico Boris Johnson.

Comentários

Últimas notícias