Rádio Jornal

'É importante a chegada de Miguel Coelho ao DEM', diz Priscila Krause em primeiro pronunciamento após filiação do prefeito

Miguel é pré-candidato ao Governo de Pernambuco e se filiou ao DEM no último sábado (25)

Renata Monteiro
Renata Monteiro
Publicado em 27/09/2021 às 18:02
Notícia
Emerson Leite / Democratas
Priscila Krause participou do ato de filiação de Miguel Coelho ao DEM, mas não discursou nem falou com a imprensa na ocasião - FOTO: Emerson Leite / Democratas
Leitura:

Em entrevista à Rádio Jornal Caruaru na manhã desta segunda-feira (27), a deputada estadual Priscila Krause (DEM) falou pela primeira vez sobre o ingresso do prefeito de Petrolina, Miguel Coelho, ao Democratas. Em meio a rumores de que estaria prestes a deixar o partido, a parlamentar participou do ato de filiação do gestor municipal, realizado no Recife, no último sábado (25), mas não discursou nem falou com a imprensa. Miguel é pré-candidato ao Governo de Pernambuco.

"(O ato de filiação ) Foi um evento grande, competente do ponto de vista de mobilização e articulação. É importante a chegada do prefeito Miguel Coelho ao Democratas, que, de uma maneira legítima, o coloca como mais uma possibilidade (para a disputa do governo). Aliás, ele já estava na condição de pré-candidato anteriormente à filiação ao DEM. Então, ele segue com essa condição de pré-candidato. Essa questão é muito legítima, como, também de maneira muito legítima, outros partidos começam a colocar as suas postulações. É o caso do PL, em relação ao prefeito de Jaboatão, Anderson Ferreira. E do PSDB, em relação à prefeita Raquel Lyra. A oposição dessa vez se adianta e começa a conversar mais claramente sobre a disputa do ano que vem e isso é muito positivo, muito salutar e fortalecedor para esse processo de escolha", detalhou a parlamentar.

>> Após rumores de que Priscila Krause deixaria o DEM, Mendonça e Miguel Coelho afagam a correligionária

>> Afastando rumores de divisão na oposição, Miguel Coelho diz que daria 'nota 11' à união de Raquel e Anderson

>> Anderson Ferreira nega divisão na oposição em Pernambuco e destaca boa relação com Miguel Coelho e Raquel Lyra

>> Pregando a unidade na oposição, Miguel Coelho se filia ao DEM em evento que o oficializou pré-candidato a governador

Os boatos de que Priscila poderia deixar o Democratas, único partido que teve ao longo de toda a sua vida pública, surgiram em torno da iminente fusão da agremiação com o PSL. Pernambucano, o presidente nacional do PSL, Luciano Bivar, vem dando sinais de aproximação com o PSB do governador Paulo Câmara, partido a que a deputada faz dura oposição. Além disso, a união das duas siglas traria para o mesmo lado da parlamentar uma ala bolsonarista da legenda de Bivar, segmento a que Priscila também não nutriria simpatia.

Segundo a deputada, a organização das realidades regionais após a fusão será um "desafio" que o novo partido vai ter que enfrentar nos próximos meses. "O DEM e o PSL se adiantam nessa movimentação e chegam a um entendimento de uma fusão partidária que cai como uma luva dentro da nova realidade que teremos a partir de 2023 e que tem como desafio organizar as realidades locais. Aqui em Pernambuco, o DEM tem uma posição muito clara de oposição ao PSB e ao PT. Que tem tudo a ver com a nossa identidade e que nós não abriremos mão dela. Isso já foi dito, inclusive, pelo próprio presidente estadual do DEM, Mendonça Filho. O que é que cabe a mim nesse processo? Fortalecer esse posicionamento de oposição e esperar que essas questões da fusão se concretizem em ações com consequências jurídicas", declarou Priscila.

A democrata afirmou, ainda, que acredita na unidade do grupo de oposição do Estado e que o nome que representará a centro-direita Pernambucana nas urnas em 2022 deverá ser escolhido através de muito debate. "Esses três partidos, o PL, o PSDB e o DEM, colocam de maneira muito clara as suas possibilidades de candidaturas. De maneira clara, legítima e democrática. Como as regras permitem e estabelecem. E, na minha opinião, esse afunilamento para a definição de um nome vai ser decorrente de um debate político e técnico sobre as questões importantes para Pernambuco e sobre a possibilidade ou capacidade de aglutinação de forças para que se tenha uma candidatura competitiva. Então, no momento certo, se chegará a esta conclusão", pontuou.

Em 2018, Priscila recebeu o apoio da prefeita Raquel Lyra na sua campanha para a Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe). Questionada se espera novamente o apoio de Raquel no ano que vem, Priscila disse que ainda não teve a oportunidade de conversar com a tucana sobre o tema.

"O que a gente conversa muito é sobre o trabalho que vem sendo feito permanentemente, sobre as possibilidades de desenvolvimento e de atração de políticas, programas, recursos para a cidade de Caruaru. De maneira que o meu compromisso com a cidade, que eu já disse várias vezes que passei a enxergar primeiramente pelos olhos de Raquel e, depois, pelos meus próprios olhos, numa presença constante e num diálogo constante e concreto com a população, é um compromisso que transcende qualquer coisa nesse sentido", explicou Priscila Krause.

Comentários

Últimas notícias