Pré-candidato a governador

Miguel Coelho propõe isenção de IPVA para motos de até 160 cilindradas e veículos com mais de dez anos em Pernambuco

De acordo com o postulante, o valor do imposto cobrado em Pernambuco é tão alto que leva os proprietários de carros e motos a registrar os veículos nos estados vizinhos

Renata Monteiro
Cadastrado por
Renata Monteiro
Publicado em 22/04/2022 às 15:56 | Atualizado em 22/04/2022 às 15:57
DIVULGAÇÃO
Miguel Coelho, ex-prefeito de Petrolina - FOTO: DIVULGAÇÃO
Leitura:

O ex-prefeito de Petrolina e pré-candidato a governador de Pernambuco, Miguel Coelho (UB), disse na última quinta-feira (21) que pretende debater a isenção de cobrança do IPVA para veículos com mais de dez anos e motos de até 160 cilindradas caso seja eleito no pleito de outubro. De acordo com o postulante, o valor do imposto cobrado por aqui é tão alto que leva os proprietários de carros e motos a registrar os veículos nos estados vizinhos.

"Vamos mexer no IPVA, que é um dos mais caros. As pessoas terminam optando em registrar o carro no Ceará ou na Paraíba para não fazer aqui. É a prova de um estado que persegue, que penaliza. A gente vai defender a isenção do IPVA para todas as motos de até 160 cilindradas, porque isso pega toda a categoria de mototáxis, motofretistas e motocarga", declarou Miguel, durante entrevista para a rádio Acauã, da cidade de Exu.

Na ocasião, o ex-gestor lembrou que taxistas recebem incentivos fiscais para a aquisição de automóveis, mas que a ação acaba não contemplando os mototaxistas. "Temos que equiparar e corrigir essa injustiça para que os mototaxistas tenham veículos novos e possam oferecer um serviço de melhor qualidade", observou.

Miguel comentou, também, que o Governo de Pernambuco anunciou a tabela de pagamento do IPVA 2022 "no apagar das luzes" e aumentou o valor médio do imposto em 20%, variação apontada pela tabela FIPE.

"Os pernambucanos amargam com a maior carga tributária de todo o Nordeste. O povo paga o tributo em excesso e não vê o serviço público melhorar. É um governo perverso que precisa ser mudado", disparou Miguel Coelho.

Comentários

Últimas notícias