APLICATIVO

"Vacina mata", "Bolsonaro 2022", "Lula Ladrão"... Tudo o que se sabe sobre relatos de troca de nomes de restaurantes no iFood

Nas redes sociais, usuários do app de entrega de comida estão relatando que vários estabelecimentos tiveram os nomes trocados

Amanda Azevedo
Cadastrado por
Amanda Azevedo
Publicado em 02/11/2021 às 22:45 | Atualizado em 03/11/2021 às 18:29
@IFOODBRASIL VIA INSTAGRAM
O iFood disse que 6% dos estabelecimentos cadastrados sofreram a alteração - FOTO: @IFOODBRASIL VIA INSTAGRAM
Leitura:

Atualizada em 03.11.21, às 7h39

Usuários do aplicativo de entrega de comida iFood relataram, na noite desta terça-feira (2), que vários restaurantes presentes no app tiveram os nomes trocados para mensagens como "Lula ladrão", "Bolsonaro 2022" e falas nagacionistas como "vacina mata", além de ofensas a Marielle Franco, vereadora do Rio de Janeiro assassinada em 2018. 

Muitos clientes estão se perguntando se o aplicativo foi alvo de hackers. Em nota enviada ao UOL, o iFood disse que cerca de 6% dos estabelecimentos foram afetados, mas não especificou a origem do problema nem negou um suposto ataque hacker.

REPRODUÇÃO
Restaurantes tiveram nomes trocados nesta terça-feira (2) - REPRODUÇÃO

A empresa disse ainda que, em investigações preliminares, "não há qualquer indício de vazamento da base de dados pessoais cadastrados na plataforma, tampouco de dados de cartão de crédito".

Leia a íntegra da nota do iFood

Na noite de hoje, 2 de novembro, o iFood identificou que alguns estabelecimentos cadastrados na plataforma tiveram seus nomes alterados. Aproximadamente 6% dos estabelecimentos foram afetados. A empresa tomou medidas imediatas para sanar o problema e proteger os dados de restaurantes, consumidores e entregadores. Em investigações preliminares, a empresa informa que não há qualquer indício de vazamento da base de dados pessoais cadastrados na plataforma, tampouco de dados de cartão de crédito.

Uma fonte anônima com conhecimento sobre a operabilidade interna do iFood disse ao site TecMundo que a possibilidade do problema ser um ataque interno é alta. 

No Twitter, a empresa afirmou que o incidente foi causado por meio da conta de um funcionário de uma empresa prestadora de serviço de atendimento que tinha permissão para ajustar informações cadastrais dos restaurantes na plataforma, e que o fez de forma indevida.

Além disso, a plataforma informou que "os meios de pagamento dos clientes estão seguros", bem como reafirmou não haver "qualquer indício de vazamento da base de dados pessoais de clientes ou entregadores cadastrados na plataforma".

Veja o que estão dizendo no Twitter

 

Comentários

Últimas notícias