Espaço

Futuros astronautas da Nasa já estão com a cabeça na Lua

Nos próximos dois anos de treinamentos intensos dos futuros astronautas, o satélite natural da Terra estará na mente de todos. E também estava no centro dos interesses da Nasa quando ela os escolheu, dez candidatos com perfis bastante diversos

AFP
AFP
Publicado em 08/12/2021 às 15:51
Thomas Shea / AFP
A NASA anunciou seus 10 últimos astronautas em treinamento, que incluem um bombeiro que se tornou professor de Harvard, um ex-membro da equipe nacional do ciclo e um piloto que liderou a primeira formação F-22 exclusivamente feminina em combate - FOTO: Thomas Shea / AFP
Leitura:

"Ajudar a construir algo na Lua seria ótimo", afirma Christina Birch, que, junto de outros nove astronautas em formação recém-escolhidos pela Nasa, já sonha com sua possível contribuição para o retorno dos americanos ao solo lunar.

Nos próximos dois anos de treinamentos intensos dos futuros astronautas, o satélite natural da Terra estará na mente de todos. E também estava no centro dos interesses da Nasa quando ela os escolheu, dez candidatos com perfis bastante diversos.

Entre eles se destacam cientistas de alto nível. Chris Williams, de 38 anos, é um físico e médico que se dedicou ao aperfeiçoamento do uso da radiação para oferecer um tratamento melhor aos pacientes com câncer.

"As missões lunares me inspiraram muito quando eu era menino, por isso o programa Artemis da Nasa, para voltar à Lua de forma sustentável, é algo que realmente me encanta e do qual eu ficaria muito emocionado de participar", contou Williams à AFP.

Já Christina Birch possui doutorado em engenharia biológica e seu sonho espacial surgiu de mãos dadas com seu trabalho no laboratório: "Ao fazer estes experimentos com células e proteínas, e ver que experimentos similares estavam sendo feitos na estação espacial, disse para mim mesma: 'Bom, eu tenho essas habilidades'".

 

Thomas Shea / AFP
Christina Birch, Luke Delaney e candidatos a astronautas posam com familiares e amigos no evento de anúncio do Candidato a Astronauta 2021 da NASA em 6 de dezembro de 2021 em Ellington Field em Houston, Texas - Thomas Shea / AFP

 

Além disso, esta mulher de 35 anos impressiona por ter participado de campeonatos mundiais de ciclismo de pista, nos quais conquistou medalhas com a equipe americana.

"Adoro ter um programa de treinamento e trabalhar para alcançar um objetivo muito grande. Isso é algo do qual eu realmente me acostumei ao buscar a classificação para os Jogos Olímpicos", explica.

A futura astronauta, no entanto, não tem nenhuma experiência de voo - ao contrário dos diversos pilotos experientes que também fazem parte do grupo - e espera com certa ansiedade o treinamento nos jatos.

"O mais rápido que já fui foi na pista de um velódromo, movida por mim mesma", conta.

A Nasa estabeleceu o objetivo de voltar a enviar pessoas à Lua a partir de 2025, e de montar uma base que possa servir para preparar as viagens a Marte. Para isso, contratou os serviços da empresa privada SpaceX, que deve proporcionar o módulo de alunissagem.

E, entre os dez futuros astronautas, há precisamente um funcionário da SpaceX.

Anil Menon, o decano do grupo com 45 anos, trabalhou como médico para as diferentes missões da empresa de Elon Musk que enviaram pessoas à Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês), e esta é sua quinta tentativa para se tornar um astronauta.

Thomas Shea / AFP
A turma de 2021 foi reduzida de um campo de mais de 12.000 candidatos e agora se apresentará para o serviço em janeiro no Centro Espacial Johnson no Texas, onde passarão por dois anos de treinamento - Thomas Shea / AFP
Thomas Shea / AFP
Christina Birch, 35, fala no evento de anúncio do Candidato a Astronauta 2021 - Thomas Shea / AFP

"Será incrível experimentar isso fisicamente eu mesmo", afirmou. "Como médico, vejo isso de forma bastante diferente, [...] e penso que o conhecimento médico permitirá que as pessoas se mantenham sãs e salvas ao viajarem para lá", disse, em referência à Lua e, depois, Marte.

Este filho de pais originários de Índia e Ucrânia está habituado a trabalhar em condições de emergência complicadas. Em 2010, esteve no Haiti para ajudar após o terremoto devastador que sacudiu o país. Já em 2015, aterrissou por azar no Nepal poucos minutos antes de outro sismo, onde também ajudou no atendimento dos pacientes que lotavam os hospitais locais.

Para se tornarem astronautas, os aspirantes precisam se mudar para o Texas para para fazer a formação no centro espacial Johnson, onde treinarão caminhadas espaciais, desenvolverão habilidades em robótica, aprenderão sobre o funcionamento da Estação Espacial Internacional e também terão aulas de russo.

"Será uma enorme mudança para as nossas famílias, mas é uma nova aventura muito emocionante", garante Williams.

Robert MARKOWITZ / NASA / AFP
Nesta foto divulgada pela NASA, os candidatos a astronautas (ASCAN) Turma de 2021 Nichole Ayers, Christopher Williams, Luke Delaney, Jessica Wittner, Anil Menon, Marcos Berrios, Jack Hathaway, Christina Birch , Deniz Burnham e Andre Douglas - Robert MARKOWITZ / NASA / AFP

Últimas notícias