DE MUDANÇA

Leila do Vôlei sai do PSB, e partido fica sem senadores no Congresso

Sem um senador sequer agora, o PSB concentrará as ações no Congresso na Câmara dos Deputados, onde tem 31 parlamentares na bancada.

José Matheus Santos
Cadastrado por
José Matheus Santos
Publicado em 05/08/2021 às 9:56 | Atualizado em 05/08/2021 às 10:27
Reprodução
Senadora Leila do Vôlei - FOTO: Reprodução
Leitura:

A senadora Leila Barros, conhecida como Leila do Vôlei, anunciou nesta quarta-feira (4) que deixou o PSB e que se filiou ao Cidadania.

Com isso, Leila será o terceiro nome da bancada do Cidadania no Senado e era o único nome do PSB na Casa Alta do Legislativo. Segundo a senadora, a nova sigla permitirá desempenhar suas atividades de forma mais eficaz e organizada.

“Leila agradece a acolhida dada pelo PSB, tanto a nível nacional quanto distrital, e ressalta que mal-entendidos e possíveis mágoas diante da sua decisão não a impedirão de continuar ao lado dos colegas da legenda nas lutas comuns. Os interesses e as aspirações do povo brasileiro e dos brasilienses devem sempre vir em primeiro lugar”, escreveu Leila em nota oficial.

Em 2018, o PSB elegeu três senadores, mas todos deixaram o partido desde que tomaram posse em 2019. Veneziano Vital do Rêgo, eleito na Paraíba, migrou para o MDB; Jorge Kajuru, de Goiás, foi para o Cidadania e agora é filiado ao Podemos; e Leila agora sai do PSB para o Cidadania.

Sem um senador sequer agora, o PSB concentrará as ações no Congresso na Câmara dos Deputados, onde tem 31 parlamentares na bancada.

Em 2014, Leila havia disputado uma vaga na Câmara Legislativa do DF, pelo Republicanos (PRB), mas não se elegeu. Entre janeiro de 2015 e abril de 2018, ela foi Secretária de Esporte e Lazer do governo Rodrigo Rollemberg (PSB), no Distrito Federal, quando se licenciou para disputar o Senado, já filiada ao PSB.

Nascida e criada em Brasília, Leila ficou famosa como atleta profissional de vôlei. Pela seleção brasileira, foi medalhista de bronze nas Olímpiadas de Atlanta, em 1996, e de Sydney, em 2000.

A senadora, que agradeceu ao PSB, foi eleita com 467.787 votos. A segunda vaga do Distrito Federal no Senado ficou com Izalci Lucas (PSDB), que teve 403.735 votos. Os dois se elegeram para um mandato de 8 anos. O outro senador do DF é Reguffe (Podemos), eleito em 2014.

Comentários

Últimas notícias