sindicalismo

Anderson Ferreira enfrenta greve de servidores após apresentar projeto de reforma da Previdência

João Campos promoveu reforma no Recife e não enfrentou reação igual

Jamildo Melo
Cadastrado por
Jamildo Melo
Publicado em 05/08/2021 às 9:54 | Atualizado em 05/08/2021 às 11:16
LEO MOTTA / ACERVO JC IMAGEM
JABOATÃO Prefeito declarou que o momento é de preocupação com os novos casos de covid e gripe - FOTO: LEO MOTTA / ACERVO JC IMAGEM
Leitura:

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Jaboatão dos Guararapes - SINPROJA, informou ao blog de Jamildo que realizou nesta quarta-feira (4), Assembleia Geral conjunta com o Sindicato dos Servidores Municipais de Jaboatão dos Guararapes - SINSMUJG, e o Sindicato dos Auditores Fiscais da Fazenda Municipal de Jaboatão dos Guararapes - SINFAM, onde avaliaram a proposta da Reforma da Previdência Municipal apresentada pelo governo Anderson Ferreira.

Durante a reunião foi decretado o estado de greve e serão realizado nesta quinta-feira (5) e sexta-feira (6), atos públicos em defesa dos servidores, aposentados e pensionistas do município.

Nesta quinta-feira (5), os manifestantes farão uma concentração na Secretaria de Educação do município, antiga sede da Prefeitura do Jaboatão, em Prazeres, neste começo de manhã. Na ocasião, sairão em protesto até a sede do Jaboatão PREV, em Piedade.

Na sexta-feira (6), às 9h, será realizado um ato público no Viaduto Geraldo Melo, em Prazeres.

Veja a nota conjunta enviada ao blog

O Governo Municipal de Anderson Ferreira, a exemplo de Bolsonaro, enviou no último dia 28 de julho ao SINPROJA, SINSMUJG e SINFAM, três Projetos de Leis: REFORMA PREVIDENCIÁRIA, CRIAÇÃO DA PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR E MODIFICAÇÃO DA LEI ORGÂNICA e, no dia 02 de agosto, fez apresentação confirmando a retirada de direitos, aumentando o tempo para aposentadorias e ações que irão diminuir o poder aquisitivo dos/as servidores/as, agravando ainda mais o impacto trazido pela pandemia da COVID-19.

A REFORMA PREVIDENCIÁRIA DE JABOATÃO É PIOR QUE A REFORMA IMPOSTA PELO GOVERNO FEDERAL.

O SINPROJA, o SINSMUJG e o SINFAM, em defesa dos direitos das suas bases, rejeitam essas alterações e convocam todos/as para lutar e reverter esse gravíssimo ataque aos direitos e à dignidade da classe trabalhadora.

O governo impôs o texto da REFORMA PREVIDENCIÁRIA, sem permitir que os sindicatos e o conjunto das categorias debatam e proponham alterações que diminuam os prejuízos.

Não podemos aceitar alterações que mudam para pior as nossas vidas. Essa ação do governo, em que trata trabalhadores/as com mão de ferro, faz lembrar outros tempos que não desejamos mais reviver.

Diante da situação, as palavras de ordem são: UNIDADE, MOBILIZAÇÃO E LUTA! Para isso, contamos com o seu apoio e a sua força para reverter esse posicionamento do governo e cobrar do poder legislativo o voto em defesa do conjunto dos servidores/as da ativa, bem como dos/as aposentados/as e pensionistas.

Vejam algumas maldades do governo Anderson Ferreira:

Cobrar dos/as aposentados/as e pensionistas 14% (quatorze por cento) sobre seus proventos;

Estabelecer prazo de validade (DE APENAS MESES) para alguns casos das pensões por morte e diminuir os valores dos benefícios;

Revogar o artigo 73 do Estatuto dos/as Servidores/as e acabar com a possibilidade de incorporar as gratificações;

Aumentar a idade de aposentaria das mulheres para 62 anos e homens para 65 anos (servidores/as em geral) e para as professoras a idade mínima de 57 anos e para os professores 60 anos;

Reduzir os valores das aposentadorias para 60% da média da remuneração da atividade, calculada a partir de julho de 1994, obrigando servidores/as a continuar trabalhando até completar a aposentadoria compulsória aos 75 anos para poder se aposentar com 100% da média aritmética de suas remunerações, a depender da idade de cada servidor/a.

SINPROJA, SINSMUJG E SINFAM UNIDOS PELA GARANTIA DE DIREITOS E EM DEFESA DA DEMOCRACIA e PARTICIPAÇÃO.



Comentários

Últimas notícias