Blog O Viral
O Viral

Se tem um repórter que não vive sem pauta, é o Viral. De notícias curiosas às novidades do seu seriado ou filme favorito, tá tudo aqui.

VER PERFIL
Longevidade

Pernambucana de 116 anos pode ser a mulher mais velha do Brasil; conheça a história de Rita Maria

Conheça a história de dona Rita, a pernambucana de 116 anos que vive na cidade do Brejo da Madre de Deus

Raianne Romão
Raianne Romão
Publicado em 08/09/2021 às 15:36
Notícia
O Povo na TV/TV Jornal
Conheça a história de Dona Rita, pernambucana de 116 anos - FOTO: O Povo na TV/TV Jornal
Leitura:

Qual é a receita da longevidade? Será sorte, uma vida sem grandes conflitos ou amor? Pois bem, hoje você conhecerá a história de Rita Maria da Conceição, nascida no dia 5 de março de 1905. Dona Rita, como é conhecida, pode ser a mulher mais velha do Brasil e tem 116 anos. A senhora nasceu em Santa Cruz do Capibaribe e atualmente mora no Sítio Bandeira, zona Rural da cidade do Brejo de Madre de Deus.

Dona Rita mora com seu filho Pedro José do Nascimento, 62, agricultor. Rita foi abandonada pelo marido quando o filho tinha apenas dois meses de vida. Naquele momento, ela chegou a pedir esmolas na rua e ambos sobreviviam a base de mingau de açúcar e farinha. "Quando eu dizia de noite 'mãe, estou com fome', ela colocava água pra ferver, um punhado de farinha que ganhava de esmola, botava um pouco de açúcar dentro e fazia papa d'água", relembrou o filho.

 

Seu Pedro também conta que tinha um irmão, porém ele morreu quando era criança. Logo após a tragédia, seu Pedro e dona Rita só tinham um ao outro e o agricultor vive para cuidar da mãe, com todo o amor e carinho. "Todo dia eu pedia a Jesus pra morrer antes de mãe, porque quando essa velha morrer vai ser ruim de eu me acostumar. Ela é o meu lençol, minha dormida e meu sono", conta seu Pedro, emocionado.

Há cerca de 13 anos, a idosa deixou de andar após cair e quebrar o fêmur. Além disso, resistiu a dois derrames. Mas, apesar da idade e dos contratempos, dona Rita continua lúcida, falante e gosta de relembrar dos bons tempos que viveu.

Ela conta que era conhecida como 'pé de ouro', por dançar muito forró nas festas do interior: "eu dançava todo tipo de dança, dancei quadrilha", recorda a senhora.

Quando questionada sobre o medo da morte, dona Rita é enfática: não tenho medo nem de homem e nem de nada", afirma a ex-agricultora.

Dona Rita é mulher e mãe. Ela é a cara do povo nordestino, que não se dobra diante dos obstáculos impostos pela vida e, apesar da condição humilde, é cercada por todo amor que um filho poderia dar a uma mãe. Então seria essa a receita da longevidade?

Comentários

Últimas notícias