Blog do Torcedor - Tudo sobre o futebol do Brasil e do mundo, basquete, NFL e todos os esportes
Torcedor

As notícias de Náutico, Santa Cruz e Sport, futebol nacional e internacional. Basquete, NFL, Fórmula 1 e todos os esportes Com análise, interatividade e opinião

Fórmula 1

Fórmula 1: Mercedes retira queixa e aceita título de Verstappen

Equipe alemã havia visto duas irregularidades durante o GP de Abu Dhabi, que terminou com vitória Verstappen sobre Hamilton na última volta

Victor Peixoto
Victor Peixoto
Publicado em 16/12/2021 às 13:19
GIUSEPPE CACACE / AFP
Em 2021, Lewis Hamilton, da Mercedes, e Max Verstappen, da Red Bull, protagonizaram briga pelo título, vencido pelo holandês - FOTO: GIUSEPPE CACACE / AFP
Leitura:

A temporada 2021, tida como a "maior da história" da Fórmula 1, terminou no último domingo (12), mas as repercussões do GP de Abu Dhabi ainda percorrem as páginas de veículos por todo o mundo.

Fórmula 1: Max Verstappen, um destino familiar que se concretiza

Fórmula 1: Max Verstappen e Lewis Hamilton, uma rivalidade que foi amadurecendo

Isso por que a condução do uso do safety car pelo diretor de prova Michael Masi, já no final da corrida, gerou bastante controvérsias e reclamações da Mercedes, que viu Lewis Hamilton ser ultrapassado por Max Verstappen, na última volta da corrida após realinhamento do grid e perder o oitavo título mundial da carreira.

Mas, parece, que, quatro dias depois do carro número 33 da Red Bull cruzar a linha de chegada, a corrida teve um fim. Isso por que a Mercedes desistiu de levar adiante o seu recurso contra a decisão dos comissários, que haviam negado os protestos da escuderia feitos logo após a corrida. A equipe comandada por Toto Wolf, emitiu uma nota oficial, comunicando a decisão; confira:

"Saímos de Abu Dhabi sem acreditar no que havíamos acabado de testemunhar. Claro, perder uma corrida faz parte do jogo, mas é diferente quando você perde a fé na competição.

Junto com Lewis, deliberamos cuidadosamente sobre como responder aos eventos da final da temporada da Fórmula 1. Sempre fomos guiados pelo nosso amor por este esporte e acreditamos que todas as competições devem ser vencidas por mérito. Na corrida de domingo, muitos sentiram, inclusive nós, que a forma como as coisas se desenrolaram não estava correta.

O motivo pelo qual protestamos contra o resultado da corrida no domingo foi porque as regras do Safety Car foram aplicadas de uma nova maneira que afetou o resultado da corrida, depois que Lewis estava na liderança e a caminho de ganhar o campeonato mundial.

Apelamos pela justiça esportiva e, desde então, temos mantido um diálogo construtivo com a FIA e a Fórmula 1 para esclarecer a situação pensando no futuro, de modo que todos os competidores conheçam as regras sob as quais correm e como serão aplicadas. Assim, saudamos a decisão da FIA de instalar uma comissão para analisar minuciosamente o que aconteceu em Abu Dhabi e para tornar as regras mais robustas, assim como a governança e tomada de decisões na Fórmula 1. Também agradecemos que eles tenham convidado as equipes e pilotos para fazerem parte disso.

A equipe Mercedes-AMG Petronas trabalhará ativamente com esta comissão para construir uma Fórmula 1 melhor - para cada equipe e todos os fãs que amam este esporte tanto quanto nós. Responsabilizaremos a FIA por esse processo e, por meio deste, retiramos nosso recurso.

Max Verstappen, astro e máquina de fazer dinheiro na Holanda

A marca Hamilton, de "showman" a "empreendedor social"

A equipe alemã havia prestado duas queixas, a primeira a de que Verstappen haveria ultrapassado Hamilton com o safety car na pista, o que é proibido por regra. A segunda, mais grave, é que o uso do safety car contrariou as regras da Fia (Federação Internacional de Automobilismo). Segundo a Mercedes, os carros retardatários não poderiam recuperar a volta em cima do grid e deveriam se posicionar no local em que estavam antes da bandeira amarela e entrada do safety car ocasionada pela batida de Nicholas Latifi, da Williams.

Decisão que foi a primeira tomada por Michael Masi, que não permitiu a ultrapassagem dos cinco carros que separavam os dois pilotos que disputavam o título mundial. Após protestos da Red Bull pelo rádio, o diretor da prova pediu "um tempo" pois seu principal objetivo era limpar a pista o mais breve possível e terminar a corrida com bandeira verde. Instantes depois a ultrapassagem dos retardatários sobre Hamilton e o safety car foi autorizada, o que deixou Verstappen logo atrás de Hamilton.

Como o holandês tinha pneus (macios) mais rápidos e 40 voltas mais novos que os de Hamilton (duros), conseguiu driblar a superioridade do carro da Mercedes e e ultrapassar o inglês na última volta, conquistando o seu primeiro título mundial.

Ainda assim, a Fia informou que irá investigar o GP de Abu Dhabi a fim de evitar novas confusões no futuro.

Comentários

Últimas notícias