medidas restritivas

Após liberação, Salvador volta atrás e implementa medidas restritivas no centro da cidade

O prefeito ACM Neto citou a aglomeração constante de pessoas na região que chamou de Centro ampliado como motivo para a retomada das restrições

Do Correio para a Rede Nordeste
Do Correio para a Rede Nordeste
Publicado em 30/06/2020 às 12:01
Notícia
ARISSON MARINHO/CORREIO
O Centro registrou 491 casos do novo coronavírus, 448 destes nos últimos 30 dias e 226 apenas nos últimos sete dias - FOTO: ARISSON MARINHO/CORREIO
Leitura:

O prefeito ACM Neto afirmou nesta terça-feira (30) que partes do Centro voltarão a ser incluídas nas medidas de restrições que buscam conter o avanço da covid-19. As atividades serão suspensas por sete dias na Avenida Joana Angélica, na Avenida Sete de Setembro, no Dois de Julho, na Rua Carlos Gomes e na região da Baixa dos Sapateiros. Ele ainda anunciou novos bairros que serão incluídos (veja abaixo). Todas as medidas começam a valer na quinta-feira (2).

Neto citou a aglomeração constante de pessoas na região que chamou de Centro ampliado como motivo para a retomada das restrições. O Centro registrou 491 casos do novo coronavírus, 448 destes nos últimos 30 dias e 226 apenas nos últimos sete dias, segundo dados da prefeitura.

Ele contou que foi pessoalmente à Joana Angélica ontem para observar a movimentação. "Nós havíamos alertado que era necessário que ambulantes e feirantes respeitassem as regras. Isso não aconteceu. Infelizmente não nos resta outra alternativa a não ser promover mais uma vez a interdição da Avenida Joana Angélica", diz.

O prefeito disse que mesmo com esforço da fiscalização, as aglomerações voltaram a acontecer nessa região. Haverá interdições no trânsito nas Avenidas Joana Angélica e Sete de Setembro, e no Dois de Julho. Segundo ele, somante moradores terão acesso aos locais, comprovando residência.

O número de casos da doença registrado no Centro da cidade acendeu o alerta. "Quando vi o numero eu fiquei preocupado, pessoalmente resolvi ontem visitar as ruas para ver como é que estava, de carro, e vi os problemas, tomei a decisão da gente voltar para o Centro. É fundamental esse retorno, não tem jeito", explica.

Bairros

Também hoje o prefeito prorrogou por mais sete dias o decreto com restrições em Santa Cruz, Imbuí, São Cristóvão e Beiru/Tancredo Neves. Já os bairros de Paripe, Fazenda Grande do Retiro, Engenho Velho de Brotas, Federação e Engenho Velho da Federação tiveram encerramento das medidas. Pernambués, incluindo agora a Saramandaia, Cabula com o Cabula VI e Resgate, Fazenda Coutos e Coutos foram incluídos na lista.

"Foram mais de quatro semanas em Paripe, conseguimos melhorar bastante a situação de contaminação na região. O que não significa dizer que mais adiante não tenhamos que voltar", avaliou Neto. Já em Tancredo Neves, onde a ação já vai para a terceira semana, os números de testagem positiva continuam altos. "A gente vem registrando lá em geral números que oscilam entre 35% e 40% de resultados positivos dos testes aplicados pela prefeitura", diz.

Ele explicou o retorno a Pernambués, que é o terceiro bairro com mais casos de covid-19 em Salvador, atrás apenas de Brotas e Pituba. "Na primeira entrada nossa não tínhamos incluído Saramandaia, dessa vez incluiremos", afirmou. São 733 casos ao todo no bairro, com 35 em Saramandaia. Nos últimos 30 dias foram 613 casos - 198 destes em apenas sete dias.

Também o Cabula volta a ter a medida, mas agora incluindo o Cabula VI e o Resgate, ao contrário do que aconteceu da primeira vez. O bairro tem 593 casos de covid-19. "Toda poligonal vai ser alcançada".

Bairros com restrições prorrogadas

Santa Cruz
Imbuí
São Cristóvão
Beiru/Tancredo Neves

Bairros com restrições a partir do dia 2

Centro ampliado
Pernambués, incluindo agora a Saramandaia
Cabula com o Cabula VI e Resgate
Fazenda Coutos e Coutos

Bairro com restrição vigente até o dia 1º

Pau da Lima

Restrições

Nos bairros com as medidas, fica suspensa a realização de qualquer atividade econômica, formal e informal, só sendo permitido o funcionamento de daquelas consideradas essenciais, a exemplo de supermercados, farmácias e estabelecimentos que utilizam o sistema de delivery, sem retirada no local, além de serviços de saúde.

Além disso, os bairros recebem ações de proteção à vida que consistem na distribuição de cestas básicas para trabalhadores informais e entidades sociais que atuam na região, e de máscaras de proteção para a comunidade. Também são ofertados testes rápidos para detecção do coronavírus, medição de temperatura, higienização de ruas, ações de combate ao mosquito Aedes aegypti e Cras Itinerante.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias