CORONAVÍRUS

Variantes mais preocupantes da covid-19 já prevalecem em pelo menos 6 estados, incluindo Pernambuco, diz Fiocruz

Foram avaliadas mil amostras dos estados de Alagoas, Ceará, Minas Gerais, Pernambuco, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Santa Catarina

Estadão Conteúdo
Cadastrado por
Estadão Conteúdo
Publicado em 04/03/2021 às 22:19 | Atualizado em 04/03/2021 às 22:41
RONNY HARTMANN / AFP
O fiscais encontraram uma grande variação no preço do exame RT-PCR. O mais barato custava R$150. E o mais caro chegou a R$385 - FOTO: RONNY HARTMANN / AFP
Leitura:

Análise feita pela Fiocruz em oito estados das regiões Sul, Sudeste e Nordeste do País constatou a prevalência das variantes mais preocupantes do coronavírus Sars-CoV-2 em pelo menos seis deles. O dado, obtido a partir de uma nova ferramenta de análise genética, indica que há uma dispersão geográfica dessas variantes nos Estados, assim como uma alta prevalência em todas as regiões avaliadas.

>> 'Estamos no início de um período que deve ser muito duro", alerta secretário sobre covid-19 em Pernambuco

>> Governo de Pernambuco alerta para aumento do número de casos da covid-19 em jovens

De acordo com nota divulgada no início da noite pelo Observatório Covid-19 da Fiocruz, foram avaliadas mil amostras dos estados de Alagoas, Ceará, Minas Gerais, Pernambuco, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. A ferramenta usada é capaz de detectar a mutação no vírus que é comum nas três variantes que mais vem preocupando o mundo atualmente - a P 1, identificada inicialmente no Amazonas, a B.1.1.7, originada no Reino Unido, e a B.1.351, na África do Sul.

A análise não mostra exatamente qual é a variante, mas a ocorrência da mutação, o que já serve como indicativo de que o vírus circulante mudou. As três são chamadas de "variantes de preocupação" ou VOCs, na sigla em inglês, e já são associadas a uma maior transmissibilidade. Também há indícios de que elas são capazes de escapar de anticorpos gerados em infecções anteriores, possibilitando a reinfecção.

>> À beira do colapso, Brasil enfrenta a fase mais mortal da pandemia de covid-19

Dos seis estados, somente nas amostras de Minas Gerais e Alagoas a presença da mutação ocorreu em menos da metade das amostras - respectivamente 30,3% e 42,6%. Os Estados em que elas mais aparecem são Ceará (71,9%) e Paraná (70,4%). A situação nos demais é: Pernambuco (50,8%), Rio de Janeiro (62,7%), Rio Grande do Sul (62,5%), Santa Catarina (63,7%).

O novo protocolo de RT-PCR já havia sido testado em janeiro, em 500 amostras do Amazonas, onde a taxa de prevalência da variante foi de 71%.

"A alta circulação de pessoas e o aumento da propagação do vírus Sars-Cov-2 tem levado ao surgimento de variantes de preocupação, que podem ser potencialmente mais transmissíveis em todo o mundo Foi este o cenário que favoreceu o surgimento da variante brasileira P.1, no Amazonas, já classificada como uma ‘variante de preocupação’", aponta a Fiocruz na nota técnica.

Apesar de o teste ser capaz de detectar uma mutação comum a três variantes de preocupação, a Fiocruz afirma que há outros indícios de que "prevalência que está sendo observada nos estados esteja associada à P.1, uma vez que as outras duas variantes não têm sido detectadas de forma expressiva no território brasileiro".

Recomendações

Diante deste quadro, o observatório reforça na nota a necessidade de serem adotadas as medidas recomendadas no início da semana pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), como a adoção imediata de lockdown nos Estados em que a ocupação dos leitos de covid-19 tenha alcançado mais de 85%, além da aceleração da oferta de vacinas.

Erasmo Salomão/MS
Fundação Oswaldo Cruz, FIOCRUZ - FOTO:Erasmo Salomão/MS
FIOCRUZ
. - FOTO:FIOCRUZ

Últimas notícias