COVID-19

'Estamos no início de um período que deve ser muito duro", alerta secretário sobre covid-19 em Pernambuco

O desrespeito às medidas de prevenção, a provável circulação de novas cepas do coronavírus e o período de sazonalidade de vírus respiratórios são listados como motivos da piora da situação da pandemia no território pernambucano

Amanda Azevedo Rute Arruda
Amanda Azevedo
Rute Arruda
Publicado em 04/03/2021 às 18:33
REPRODUÇÃO DE VÍDEO
Os secretários de Defesa Social, Humberto Freire, e de Saúde de Pernambuco, André Longo - FOTO: REPRODUÇÃO DE VÍDEO
Leitura:

Com a nova alta nos indicadores da covid-19, o secretário estadual de Saúde, André Longo, reforçou mais uma vez a importância de respeitar as medidas de prevenção à doença. Em entrevista coletiva, nesta quinta-feira (4), ele alertou que o Estado está entrando em um período da pandemia "que deve ser muito duro e de muitas dificuldades".

>> Governo de Pernambuco alerta para aumento do número de casos da covid-19 em jovens

>> Governadores pedem a Bolsonaro providências imediatas para aquisição de novas vacinas contra covid-19

"Estamos no início de um período que deve ser muito duro e de grandes dificuldades. Mesmo com a vacinação, que começar a dar os primeiros e promissores resultados, e um grande esforço do governo do Estado para a abertura de leitos, o sistema de saúde está no limite de sua capacidade máxima", relatou o secretário.

O desrespeito às medidas de prevenção, a provável circulação de novas cepas do coronavírus no Estado e o período de sazonalidade de vírus respiratórios são listados pelo secretário como motivos da piora da situação da pandemia no território pernambucano.

A semana epidemiológica 8, finalizada no sábado (27), foi a pior deste ano. E os primeiros dias desta semana epidemiológica 9 indicam um agravamento ainda maior da situação, segundo Longo.

>> Escolas só serão fechadas em Pernambuco se houver lockdown

"Na semana 8, tivemos um aumento de 14% e 20% nas notificações de casos graves em relação às semanas 7 e 6, respectivamente. Já as solicitações de leito, pela primeira vez neste ano, superaram a marca de mil em uma única semana. Ao todo, na semana passada, 1.074 pacientes com quadro respiratório precisaram de internamento, sendo 619 em leitos de UTI e 455 em enfermaria. Os números seguem crescendo", disse.

Abertura de leitos para pacientes com covid-19

Na coletiva, secretário de Saúde anunciou que a rede pública de saúde de Pernambuco será reforçada, nesta sexta-feira (5, com mais 20 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), destinados aos pacientes com covid-19.  As vagas serão abertas por meio de um contrato entre a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) e o Hospital Memorial Jaboatão, na Região Metropolitana do Recife (RMR).

De acordo com André Longo, o Estado deverá abrir mais vagas nos próximos dias. "Temos a expectativa de colocar mais 40 leitos de UTI em operação. Mesmo diante de todos nossos esforços, a velocidade da doença tem superado nossa capacidade de abrir novas vagas. O respeito às regras de prevenção precisa ser compromisso de todos, porque só assim vamos conseguir atravessar este grave momento com menos mortes", disse.

Ao todo, desde o último sábado (28), Pernambuco colocou em operação outros 52 leitos de terapia intensiva, nos hospitais Agamenon Magalhães (18), no Recife; Rui de Barros Correia (2), em Arcoverde; Inácio de Sá (5), em Salgueiro; e Eduardo Campos da Pessoa Idosa (27), em parceria com a Prefeitura do Recife. Atualmente, a rede estadual de saúde conta 1.990 leitos exclusivos para pacientes com diagnóstico ou suspeita de covid-19, sendo 1.045 de UTI e 945 de enfermaria.

Aumento do número de casos da covid-19 em jovens

O secretário Estadual de Saúde frisou que os jovens precisam se cuidar, pois "não são invencíveis". Os jovens, que sempre dissemos, desde o início da pandemia, costumam ter resultados melhores, mas isso não é uma situação unânime, há vários jovens que perderam sua vida, muitas vezes temos observado que há uma reação individual ao contato com o vírus que pode ser inesperada. Os jovens que se acham invencíveis, que vão para as baladas, que vão para a curtição, sem pensar no dia de amanhã podem desenvolver casos graves e ir a óbito", ressaltou.

Comentários

Últimas notícias