BUSCAS

"É igual a buscar leão na selva", declara Mourão sobre caçada a Lázaro, o 'Serial Killer do DF'

O homem é procurado por mais de 200 policiais desde o dia 9 de junho

Douglas Hacknen Julianna Valença
Douglas Hacknen
Julianna Valença
Publicado em 18/06/2021 às 18:11
FABIO RODRIGUES POZZEBOM/AGÊNCIA BRASIL
Mourão minimizou a fala de Bolsonaro e se irritou com jornalistas que o questionaram sobre o assunto - FOTO: FABIO RODRIGUES POZZEBOM/AGÊNCIA BRASIL
Leitura:

Com informações do Correio Braziliense

O vice-presidente Hamilton Mourão falou nesta sexta-feira (18) sobre o caso de Lázaro Barbosa Sousa, 32 anos - conhecido pelos internautas como ‘serial killer do DF -, foragido desde o dia 9 de junho. "É igual a buscar leão na selva", afirmou o general. O homem é procurado por mais de 200 policiais, suspeito de cometer diversos crimes, entre eles assassinar quatro pessoas de uma família, em Ceilândia Norte, no Distrito Federal.

>> Moradores da região onde foi feito cerco a Lázaro Barbosa, o serial killer do DF, relatam terror

>> 'Era um menino inteligente', diz ex-amigo de infância de 'serial killer do DF'

Na última quinta-feira (17), as buscas por Lázaro ganharam reforço da força nacional, contudo, os agentes enfrentam dificuldades na captura do suspeito por ele ser especialista na mata local. “A polícia tem tropa especializada, principalmente na área em que ele está, de mato cerrado, não é simples você achar uma pessoa. Uma área larga, você tem que isolar. Primeiro, se faz um cerco longo, depois você vai dividindo por quadrante e vai vasculhando até achar o cara. É igual a buscar leão na selva, vai batendo mato, operação demorada”, explicou Hamilton Mourão.

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) também comentou sobre a operação e defendeu o porte de armas. "Tem um maníaco na região do DF e de Goiás cometendo barbaridade, matando gente, estuprando... Esse elemento tentou entrar numa chácara e foi repelido porque o cara tinha uma calibre 12 lá dentro”, disse Bolsonaro. “Os bandidos estão armados, você não tem paz nem dentro de casa... arma não mata; quem mata é o elemento que está atrás dela", completou.

Décimo dia de buscas

A perseguição a Lázaro Barbosa entrou no décimo dia nesta sexta-feira (18). O secretário de Segurança Pública do Estado de Goiás (SSP-GO), Rodney Rocha Miranda, afirmou durante coletiva de imprensa, nesta quinta-feira (17), que o Lázaro teria sido ferido durante troca de tiros com policiais. O tiroteio ocorreu na durante a tarde.

"Cão farejador achou pano ensanguentado, pode ser até um ferimento grave. Ele tentou acertar um dos cachorros, policiais visualizaram e revidaram. Ele entrou em uma vala e depois, provavelmente, na água, e os policiais perderam o rastro dele", disse o secretário.

Segundo a polícia, o tiroteio aconteceu por volta de 17h. Essa foi a segunda vez que ele trocou tiros com os agentes. A primeira, foi durante o resgate de uma família feita refém. Miranda informou que um cão da polícia farejou um pedaço de pano com sangue e acredita-se o objeto foi usado por Lázaro, tentando estancar algum ferimento

Algumas equipes estão utilizando óculos de visão noturna. "Como é um sujeito perigosíssimo, está armado e atirando, resolvemos esperar amanhecer para procurar, porque o terreno é muito perigoso. Vamos virar uma madrugada fazendo como incursões em volta. Entendemos que ele está no limite."

 

Crimes cometidos por Lázaro

 

Comentários

Últimas notícias