CRIATURAS DO ZOO

Dois Irmãos tem segunda maior coleção do País em espécies de abelha

Ao todo, 11 espécies da Mata Atlântica e Caatinga podem ser observadas no zoo

Amanda Rainheri
Amanda Rainheri
Publicado em 14/05/2017 às 10:30
Foto: Ricardo Labastier/ JC Imagem
FOTO: Foto: Ricardo Labastier/ JC Imagem
Leitura:

Quem visita o Parque de Dois Irmãos, na Zona Oeste do Recife, pode conhecer a segunda maior coleção de abelhas em quantidade de espécies do Brasil. A novidade apresentada ao público no ano passado é motivo de curiosidade para os visitantes, já que as abelhas, todas nativas de Pernambuco, não possuem ferrão.  

>> Dois Irmãos: conheça Leo, um rei traumatizado à procura de um amor

>> Sena: um dos moradores mais antigos do Parque de Dois Irmãos

Ao todo, são 11 espécies, entre elas a Plebeia Mínima, uma das menores do mundo. Dez são originárias da Mata Atlântica, enquanto uma é da Caatinga. O objetivo, além da preservação, é o estudo dos insetos, uma vez que sete que estavam desaparecidas da natureza foram identificadas no próprio zoo.  

MATA ATLÂNTICA

"As abelhas nativas têm um papel muito importante na questão da polinização. Já foi encontrado em trabalhos que elas seriam responsáveis por 90% da polinização da Mata Atlântica", afirma o zootecnista André Pimentel. Segundo ele, isso quer dizer que plantas podem voltar a existir no entorno do parque e atrair animais diferentes para a região.

Foto: Ricardo Labastier/ JC Imagem
Macaco-prego-galego passou 300 anos desaparecido e pode ser observado hoje no parque - Foto: Ricardo Labastier/ JC Imagem
Foto: Ricardo Labastier/ JC Imagem
Sena completa 60 anos em agosto e é o chimpanzé mais velho do Brasil de que se tem notícia - Foto: Ricardo Labastier/ JC Imagem
Foto: Ricardo Labastier/ JC Imagem
Leo é o único sobrevivente da tragédia do Circo Vostok - Foto: Ricardo Labastier/ JC Imagem
Foto: Ricardo Labastier/ JC Imagem
O zoo de Dois Irmãos abriga segunda maior coleção do Brasil em espécies de abelha - Foto: Ricardo Labastier/ JC Imagem
Foto: Ricardo Labastier/ JC Imagem
Pingo é uma raposa com defeito de nascença na pata e não sobreviveria fora do zoo - Foto: Ricardo Labastier/ JC Imagem
Foto: Ricardo Labastier/ JC Imagem
O zoo abriga uma das 150 araras-bolivianas existentes no mundo - Foto: Ricardo Labastier/ JC Imagem
Foto: Divulgação
Pota aprendeu a abrir a boca e deixar o tratador escovar seus dentes - Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
A águia-chilena foi vítima de caçadores e tem balas de chumbo alojadas nas asas - Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
A tigresa desenvolveu gastrite devido ao estresse do dia a dia - Foto: Divulgação

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias