Santa Maria

Atento a habilidades e competências, Santa Maria foca na formação completa do indivíduo

Além dos conteúdos pela Base Nacional Curricular Comum, colégio trabalha no desenvolvimento de características interpessoais

JC Online
JC Online
Publicado em 30/09/2019 às 9:07
Luiz Pessoa/JC360
Além dos conteúdos pela Base Nacional Curricular Comum, colégio trabalha no desenvolvimento de características interpessoais - FOTO: Luiz Pessoa/JC360
Leitura:

O ensino baseado em competências e habilidades se tornou um assunto cada vez mais em pauta entre alunos, pais e profissionais da educação que enxergam o processo de aprendizagem como algo muito além do simples repasse de conteúdo. "Na minha época não era assim. Não existia essa preocupação e nem esse leque de informações com que a sociedade conta hoje. Então é importante que os meus filhos saiam da escola preparados para isso, para a sociedade e suas exigências. Não apenas com notas boas", explica o jurista João Lapenda.

Lapenda é pai de João Felipe, 14 anos, e Julia, 12 anos, estudantes do 9º e 7º ano do Colégio Santa Maria de Boa Viagem, respectivamente. “Eles já têm aula de empreendedorismo, por exemplo. Já conseguem identificar as habilidades que têm para o comércio, desenvolver uma visão voltada para a empresa, para os negócios. Eu acho isso incrível e percebo que eles também gostam”, aponta Lapenda. Bem longe de ser um modismo, a preocupação com o desenvolvimento de características interpessoais como empatia, espírito de liderança e capacidade de solucionar problemas sempre foram entendidos como um processo de formação integral, que na?o se restringe à transmissão de conteúdos e não foca apenas no futuro profissional, mas no indivíduo como um todo.

Cidadania global

“Nós estamos nos conectando às exigências da formação de cidadãos do século XXI. Por isso, criamos um projeto político-pedagógico que dialoga com o senso de cidadania global”, ressalta Rosa Amélia, diretora-presidente do Colégio Santa Maria. “Para tanto, fazemos parte do projeto Escola da Inteligência. É uma metodologia que promove, por meio da educação das emoções e da inteligência, a melhoria dos índices de aprendizagem, a redução da indisciplina, o aprimoramento das relações interpessoais e o aumento da participação da família na formação integral dos alunos”, continua a gestora. “Todos os envolvidos, escola e família, atuam de forma integrada na formação dos alunos, beneficiados com mais qualidade de vida e bem-estar psíquico.”

Os alunos do Colégio Santa Maria contam, por exemplo, com sala de aula invertida, metodologia ativa e várias tecnologias, por meio da sala Maker/Empreendedorismo. “Também desenvolvemos o pensamento computacional, habilidades para pesquisa, trabalho em grupo, cidadania, religião, robótica, música, balé clássico, dança popular brasileira… Entre outras atividades essenciais para garantir a participação do cidadão na sociedade de maneira autônoma”, destaca Rosa Amélia

Naturalmente, o Santa Maria não deixa de lado as disciplinas exigidas nos quatro eixos da Base Nacional Comum Curricular: Linguagens (português, inglês, espanhol, artes, educação física, matemática), Natureza (química, física, biologia) e Humanidades (sociologia, filosofia, história, geografia). “Essa concepção de educação plena oportuniza aos educandos práticas em todas as áreas, colaborando para o aprimoramento de habilidades e competências”, resume a gestora.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias