Mosquito

Mutirão de combate ao Aedes aegypti faz vistorias na CDU e Várzea

Cerca de duas mil casas foram vistoriadas durante o fim de semana

Do JC Online
Do JC Online
Publicado em 06/03/2016 às 15:20
Foto: Tato Rocha/ JC Imagem
Cerca de duas mil casas foram vistoriadas durante o fim de semana - FOTO: Foto: Tato Rocha/ JC Imagem
Leitura:

Doze agentes de saúde ambiental e controle de endemias (asaces), além de nove soldados do Exército reuniram-se neste domingo (6) para vistoriar imóveis na Cidade Universitária e Várzea, ambos bairros da Zona Oeste do Recife, em um mutirão de combate ao Aedes aegypti. O trabalho também foi realizado no sábado e, ao todo, cerca de 2 mil casas foram visitadas pelos profissionais.

“Nosso trabalho é averiguar as residências e ver se há focos de acúmulo de água, locais propícios para a proliferação do mosquito. Caso a identificação ocorra, nós eliminamos ou tratamos o foco”, informou Selmo Batista, supervisor de Vigilância Ambiental da Prefeitura do Recife.

Ontem a ação foi iniciada às 8h e seguiu até as 16h. As ruas vistoriadas na Cidade Universitária foram: Doutor Corrêa da Silva, Seis de Março, Avenida Professor Arthur de Sá e General Polidoro. Na Várzea, os agentes estiveram nas Ruas Emeterio Maciel, João Sales de Meneses, Torres Homem e a Avenida Barão de Bonito.

Em uma das visitas, na casa do aposentado Jorge Gomes do Nascimento, nenhum foco foi identificado, mas um sobrinho de 13 anos do homem apresentava sintomas de chicugunha. Os moradores foram orientados a encaminhar o menino a uma unidade de saúde para que seu quadro de saúde fosse esclarecido e e para que ele fosse medicado.

Uma obra abandonada na Várzea também foi alvo da ação. No local, além de muita sujeira e restos de materiais de construção havia uma caixa d’água aberta e uma piscina descoberta. Os agentes aplicaram larvicidas na água e eliminaram outros pequenos focos identificados. No local seria construído um edifício, mas a obra foi embargada pela prefeitura.

“Acho importantíssimo a prefeitura realizar esse tipo de ação, pois muitas vezes nós cuidamos do nossa casa, mas acabamos adoecendo porque outras pessoas não têm a mesma conciência, como os responsáveis por essa obra”, disse Artur Gabriel Cordeiro, 18 anos, morador de um prédio situado na frente da obra abandonada.

Mais de 40 mil imóveis foram vistoriados pela prefeitura de novembro de 2015 até agora nos mutirões de final de semana. Os trabalhos já foram realizados em bairros como Morro da Conceição, Espinheiro, Jardim São Paulo, Areias, Imbiribeira, Vasco da Gama, Boa Viagem, entre outros.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias