AMOR

Dia dos Namorados: ''Eu encontrei ela no Tinder''

Amanda Moraes e André Gomes se conheceram pelo aplicativo de relacionamentos Tinder em 2014

Rute Arruda
Rute Arruda
Publicado em 12/06/2019 às 7:03
Notícia
Foto: Cortesia
Amanda Moraes e André Gomes se conheceram pelo aplicativo de relacionamentos Tinder em 2014 - FOTO: Foto: Cortesia
Leitura:

Quem nunca ficou com o coração acelerado quando viu o “crush” ficar online ou quem nunca deu aquela “stalkeada” diaria que atire a primeira pedra. Afinal, não é de hoje que a internet é um facilitador para os mais tímidos encontrar sua cara metade. Desde os extintos mIRC e ICQ até os atuais Instagram e WhatsApp, é mais do que normal o uso das redes para juntar as pessoas. Por isso que neste 12 de junho, quando se comemora o Dia dos Namorados, o Jornal do Commercio resolveu trazer a história de três casais que se conheceram através da internet e provaram que, sim, o amor pode nascer entre um clique e outro. Veja onde comer nesta quarta-feira. 

O nome dela não é Jenifer, mas a história de amor começou no Tinder para Amanda Moraes, 27, e André Gomes, 34. Os dois não lembram quem deu o “match” primeiro, mas há cinco anos as primeiras palavras foram trocadas pelo aplicativo de relacionamentos e, desde então, eles têm compartilhado vários momentos juntos. A história dos dois começou no início de 2014, quando marcaram de se conhecer em um barzinho no bairro do Parnamirim, Zona Norte do Recife.

Se a primeira impressão é a que fica, nenhum dos dois pareceu se arrepender do que encontrou naquele contato face a face. “Eu cheguei primeiro e sentei em uma mesa. Aí teve um momento que eu o vi na calçada e pensei: ‘Ah, eu acho que é aquele menino ali’. E quando ele chegou, eu fiquei bem feliz. O jantar foi bem legal. A gente conversou bastante e de uma forma bem descontraída, bem leve. Sem a pressão de ficar paquerando. Não parecia que era a primeira vez que a gente se via”, lembrou Amanda.

“Desde o início das nossas conversas eu gostei do jeito de Amanda. Ela não era uma menina de ficar conversando o tempo todo, pelo contrário, a gente conversava uma vez na semana, passava outra semana sem nos falar e conversava de novo depois, mas era sempre legal”, disse André, que explicou o motivo de ter usado o Tinder para encontrar seu grande amor. “Eu vi no Tinder uma oportunidade de conhecer uma pessoa. Pelo menos de conversar, saber características dela e tudo mais. Sem ser em uma balada ou em qualquer ambiente artificial. Desde as conversas da gente que eu gostei do jeito de Amanda", concluiu André.

Apesar das boas primeiras impressões naquele barzinho do Parnamirim, o primeiro beijo só aconteceu dias depois. “A gente já tinha saído umas três vezes. Aí teve outra vez que a gente saiu, foi para outro barzinho e ficamos conversando. Eu fiquei tomando coragem e fui deixar ele em casa”, comentou André. E a coragem veio. “Quando eu ia descer do carro, ele me beijou”, completou Amanda.

Depois do primeiro beijo, Amanda e André só começaram a namorar, de fato, em maio de 2014, após um passeio pelo Parque da Jaqueira, também na Zona Norte do Recife. No mesmo dia, ele já conheceu os sogros e os dois continuaram como namorados por dois anos, quando, em maio de 2016, veio a celebração do noivado. O pedido de casamento não aconteceu de surpresa, porque a decisão de se tornarem “um só” aconteceu naturalmente. “A gente sempre conversou sobre isso e teve um dia que sentamos e dissemos: ‘Vamos escolher a data para noivar’. Fomos resolvendo e conversando”, explicou Amanda.

Os dois selaram a união em setembro de 2018, rodeado de familiares e amigos, e são mais uma prova de que relacionamentos que começaram em uma plataforma de relacionamentos podem sim, dar certo.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias