SERTÃO

Avião de transporte de valores sofre tentativa de assalto em Petrolina

O piloto do avião, que estava transportando dinheiro para um banco em Salvador, na Bahia, conseguiu fazer uma manobra e levantar voo

JC Online
JC Online
Publicado em 26/09/2019 às 16:20
Notícia
Cortesia/WhatsApp
FOTO: Cortesia/WhatsApp
Leitura:

Uma tentativa de assalto a um avião de transporte de valores foi registrada em Petrolina, no Sertão do Estado, nesta quinta-feira (26). De acordo com a Polícia Militar, quatro homens romperam a barreira de segurança do Aeroporto Internacional Senador Nilo Coelho e entraram com um Fiat Doblò no local. Ação ocorreu exatamente um ano após um grupo tentar assaltar uma aeronave de transporte de valores em Salgueiro, também no Sertão.

No aeroporto de Petrolina, o piloto do avião, que estava transportando dinheiro para um banco em Salvador, na Bahia, ao avistar o veículo, conseguiu fazer uma manobra e levantar voo, sem nenhuma intercorrência.

Fuga e caminhão incendiado 

Durante a ação criminosa, um caminhão foi interceptado na BR-428, no sentido Lagoa Grande, a cerca de 20 quilômetros de Petrolina. Posteriormente, um Doblò, provavelmente o utilizado na investida contra o avião, foi encontrado incendiado na Estrada da Tapera, já na Bahia, a 500 metros da divisa com Pernambuco, próximo à Barragem de Sobradinho.

Cortesia/WhatsApp
Ocorrência foi registrada nesta quinta-feira (26) - Cortesia/WhatsApp
Cortesia/WhatsApp
Na fuga, o grupo incendiou um caminhão na BR-428 - Cortesia/WhatsApp
Cortesia/WhatsApp
Quatro homens armados participaram da ação - Cortesia/WhatsApp

Durante a tarde, surgiu a informação de que os criminosos tinham roubado um veículo e levado um refém com eles. À noite, o tenente-coronel André Luiz, comandante do 5º Batalhão de Polícia Militar (BPM), negou. “Isso não procede, não há refém”, disse.

Havia ainda a informação de que o grupo portava fuzis e usava roupas camufladas. O comandante do 5º BPM também esclareceu que não houve troca de tiros na ação. “Não houve tiros na aeronave. O piloto, inclusive, não viu nenhum tipo de arma. Não houve ameaça com arma de fogo. Ele só identificou a presença do veículo e conseguiu agilizar a decolagem”, explicou. Em nota, a PM não faz qualquer referência a armamento.

Por volta das 21h30 desta quinta-feira (26), integrantes do 5º BPM, 2º Batalhão Integrado Especializado (Biesp) e Batalhão Especializado de Policiamento do Interior (Bepi) seguiam em busca dos suspeitos.

Às 21h, por meio de nota, a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) informou que os reparos na barreira de segurança danificada já tinham sido realizados.

Ação semelhante em Salgueiro

Na ação em Salgueiro, no Sertão, no dia 26 de setembro de 2018, diferente do que ocorreu em Petrolina, antes de ser interceptada pela polícia, a quadrilha disparou contra a aeronave de transporte de valores, ferindo o piloto e obrigando-o a parar.

De acordo com a Polícia Militar, as investigações tinham sido iniciadas três anos anos. Devido ao monitoramento, foi possível descobrir a intenção do assalto e o efetivo conseguiu impedir a ação. O grupo também era suspeito de participar da execução de dois policiais militares no município de Bom Jesus da Lapa, na Bahia, além de um assalto à agência do Banco do Brasil, no município baiano de Jacobina, e assaltos a cinco carros-fortes em Juazeiro, na Bahia, e em Petrolina.

Informações repassadas à Rádio Jornal na época do crime apontavam que alguns integrantes da quadrilha mantinham negócios em fazendas exportadoras de frutas no Vale do São Francisco para justificar enriquecimento ilícito.

Na ação em Salgueiro, seis homens morreram e um ficou ferido em um confronto envolvendo as polícias Federal e Militar da Bahia e de Pernambuco. Outros quatro foram presos.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias