Folia

Arrastão do frevo reúne mulheres domingo no Marco Zero do Recife

Concentração será às 15h do dia 1º de março e cortejo segue até o Paço do Frevo, na Praça do Arsenal, no Bairro do Recife

JC Online
JC Online
Publicado em 27/02/2020 às 16:52
Notícia
Foto: Andréa Rego Barros/Prefeitura do Recife
Concentração será às 15h do dia 1º de março e cortejo segue até o Paço do Frevo, na Praça do Arsenal, no Bairro do Recife - FOTO: Foto: Andréa Rego Barros/Prefeitura do Recife
Leitura:

O mês de março começa neste domingo ainda cheirando a Carnaval e animado por um arrastão de frevo com um toque feminino no Bairro do Recife, Centro da capital pernambucana. Quem não quiser perder o encontro da Orquestra Só Mulheres com o Bloco Nem com uma Flor basta chegar à Praça do Marco Zero às 15h para a concentração da festa. O cortejo sairá às 16h e segue até o Paço do Frevo. Aproveite para visitar o museu, que terá entrada gratuita neste dia.

Criado pelo Paço do Frevo em 2014, o arrastão é realizado no primeiro domingo de cada mês com agremiações variadas. Em março, a folia celebra o mês das mulheres e abre uma programação especial no museu pensada e produzida por mulheres, adianta a gerente de Desenvolvimento Institucional do Paço, Geisa Agrício. “Tivemos o arrastão de janeiro com o Galo da Madrugada e o de fevereiro com o Clube de Boneco Seu Malaquias, Patrimônio Vivo de Pernambuco”, diz ela.

No domingo (1º), a maestrina da Orquestra Só Mulheres, Lourdinha Nóbrega, levará o frevo de rua para o Bairro do Recife. O grupo foi fundado em 2006 e é formado por cerca de 50 pessoas. “Somos espelho para a sociedade e inspiração para as novas gerações e para outras mulheres, não temos apoio e nossa importância não é reconhecida, mas somos resistentes”, destaca Lourdinha Nóbrega. A orquestra tem um repertório eclético, passeando pelo Carnaval, São João e outras datas.

Divulgação

Nem com uma Flor, em atividade desde 2001, é o bloco da Secretaria da Mulher do Recife e nasceu para combater a violência contra o público feminino. A ação é desenvolvida o ano todo, com ênfase no Carnaval. No arrastão do frevo as agremiações vão às ruas, mais uma vez, pedir o fim da violência contra as mulheres. “Convidamos também grupos feministas, como Essa Fada e Siririx, para participar”, diz Geisa.

A proposta do Paço, com os arrastões, é divulgar o frevo o ano inteiro e não deixar o ritmo confinado ao período carnavalesco, destaca Geisa Agrício. “O museu é um centro de referência para o frevo, precisamos valorizar a música e a dança o ano todo, o frevo não pode ficar só no museu, ele precisa estar na rua”, afirma. O Paço funciona num prédio antigo da Praça do Arsenal há seis anos.

Surubim

Em Surubim, no Agreste do Estado, distante 119 quilômetros do Recife, a brincadeira começa nesta sexta-feira (28) e termina domingo (1º de março). De acordo com a prefeitura, a folia da cidade sempre é realizada no primeiro fim de semana depois da data oficial da festa no restante do País. O Carnaval 2020 de Surubim terá como homenageadas as orquestras de frevo do município.

A abertura da festa será às 18h30 desta sexta-feira com cortejo cultural saindo da Avenida São Sebastião até o Polo Usina, no Centro. No sábado (29), a folia começa às 15h com programação infantil num palco do mesmo polo, com Carol Levy. E prossegue a partir das 18h30 com cortejo cultural, blocos líricos e trios elétricos, além de apresentação do cantor Benil no palco principal.

Dez trios elétricos animam os foliões no domingo (1º), principal dia da festa, a partir das 14h30, na Avenida São Sebastião. O Carnaval 2020 de Surubim termina ao som de ciranda no chão e do cantor Josildo Sá, o rei do samba de latada, no palco. A última apresentação se encerra às 23h.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias