Violência

Assaltos a ônibus crescem 34% em um ano na Região Metropolitana

No período analisado, agosto foi o mês com mais incidências

Diogo Cavalcante
Diogo Cavalcante
Publicado em 16/09/2016 às 15:46
Guga Matos/JC Imagem
No período analisado, agosto foi o mês com mais incidências - FOTO: Guga Matos/JC Imagem
Leitura:

De janeiro até agosto de 2016, a Região Metropolitana do Recife (RMR) teve 740 assaltos a ônibus. Comparando com o mesmo período de 2015, que acumulou 551, nota-se um crescimento de 34% dos casos. 

De acordo com os dados cedidos pela Secretaria de Defesa Social (SDS/PE), o único mês que ficou com índices abaixo dos 80 casos foi fevereiro, quando houve 69 ocorrências. O mais violento foi agosto, com 140. Comparado com o mesmo mês, só que de 2015, apresenta salto de 27%. Confira no infográfico os dados.

A sensação de insegurança é geral. Não é raro conhecer casos de assaltos a coletivos. Um estagiário do Sistema Jornal do Commercio, que pediu para não ser identificado, relata que um grupo de quatro pessoas roubaram o ônibus que ele estava, da linha TI Xambá/Cabugá. Os criminosos, armados com facões, levaram os celulares do pessoal. "O motorista nem levou para prestar queixa", conta ele, que, dias depois, conversando com uma cobradora, descobriu que aquele grupo costuma assaltar sempre a linha. "Ela me contou que a empresa do ônibus pensa em diminuir a frota, para lotar mais os veículos e tentar coibir".

A Polícia Militar de Pernambuco, para reprimir esses crimes, criou a Operação Transporte Seguro. Desde janeiro, a força-tarefa já encaminhou 60 suspeitos às delegacias da RMR, além de apreender 26 armas, sendo 14 delas brancas (como facas) e 12 de fogo (revólveres e pistolas).

Em agosto, o JC Trânsito apresentou o especial "Passageiros do Medo". Numa das matérias, o assessor de comunicação da PMPE, major Júlio Aragão, reconheceu que os dados eram alarmantes. Você pode conferir as reportagens na seção "Leia também" desta página.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias