RUA SETE DE SETEMBRO

Casal é encontrado morto dentro de apartamento no centro do Recife

O SAMU foi acionado no início da tarde, mas ao chegar no local o casal já estava morto

JC Online
JC Online
Publicado em 15/08/2017 às 15:58
Foto: Reprodução/Google Street View
O SAMU foi acionado no início da tarde, mas ao chegar no local o casal já estava morto - FOTO: Foto: Reprodução/Google Street View
Leitura:

Uma mulher e um homem foram encontrados mortos no Edifício Queen Anne, na Rua Sete de Setembro na tarde desta terça-feira (15). De acordo com informações do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), a ocorrência foi recebida às 14h, mas quando a equipe chegou ao local o casal já estava morto.

Populares informaram que a mulher, identificada como Rosana Marinho Souza, 53 anos, estava caída no corredor do apartamento do 16º andar e o homem, José Imiliano dos Santos Filho, 57, estava em um dos quartos com um revólver. Dois tiros teriam sido ouvidos no início da tarde nas proximidades do imóvel que fica localizado no bairro da Boa Vista, área central do Recife.

Homicídio seguido de suicídio

De acordo o perito que foi ao local, Fernando Benevides, a partir da dinâmica encontrada na cena do crime é possível interpretar que ocorreu um homicídio seguido por um suicídio. "Isso é a nível preliminar. Foram feitos exames, inclusive residuográfico, para constatar essa afirmação, mas a dinâmica ficou bem transparente", afirmou o perito. 

Ele explicou que o corpo de Rosana foi encontrado na cama, com dois tiros na cabeça. O de José Imiliano, tinha um disparo, na mesma região. A arma foi encontrado com ele. Será feito o exame balístico.  

Homem era empresário

Segundo com informações repassadas por um filho de José Imiliano, o homem era empresário e tinha uma frota de caminhões que prestava serviço para Suape. O rapaz afirmou também que o pai convivia com a depressão e que o quadro clínico começou após o declínio em Suape. 

Estiveram presentes no local o Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), equipes do Instituto de Criminalística (IC) e do Instituto Médico Legal (IML). A Polícia Civil vai investigar o caso. 

Últimas notícias