BOA NOITE, CINDERELA

Motorista da Uber é denunciado por tentar dopar passageira no Recife

O motorista jogou um líquido no rosto da mulher, que ficou tonta e sem forças nas pernas. Assustada, ela conseguiu abrir a porta e descer engatinhando do veículo em movimento

JC Online
JC Online
Publicado em 30/07/2018 às 16:40
Foto: Fernanda Carvalho/Fotos Públicas
O motorista jogou um líquido no rosto da mulher, que ficou tonta e sem forças nas pernas. Assustada, ela conseguiu abrir a porta e descer engatinhando do veículo em movimento - FOTO: Foto: Fernanda Carvalho/Fotos Públicas
Leitura:

Um motorista do aplicativo Uber foi denunciado por uma universitária, por suspeita de tentar aplica o golpe do "Boa noite, Cinderela". Segundo a jovem contou à polícia, o homem jogou um líquido no rosto dela, na tentativa de dopá-la durante a corrida.

Em entrevista à TV Jornal, a estudante de letras, de 28 anos, diz que entrou no carro da Uber na Avenida Domingos Ferreira, em Boa Viagem, na Zona Sul do Recife. A mulher pretendia seguir para o bairro da Madalena, mas no trajeto foi surpreendida.

Ainda de acordo com a vítima, ela sentou no banco traseiro do carro e o motorista insistiu para que ela colocasse o cinto de segurança. Nesse momento ela percebeu que o suspeito tentaria dopá-la. O homem segurava um frasco, semelhante ao de um perfume, e jogou um líquido no rosto da estudante. "Fiquei tonta, não senti mais minhas pernas. Daí não tive dúvida e saí do carro em movimento, engatinhando no meio da avenida", relata.

Uma senhora e o porteiro de um prédio viram o desespero da vítima e correram para prestar socorro. O motorista acelerou o carro para fugir do local antes que fosse identificado.

Foto do motorista no app não condizia com ele

Depois do susto, a vítima percebeu que a foto do motorista no aplicativo não correspondia à pessoa que estava dirigindo o veículo. "Na foto tinha um senhor de idade, mas o rapaz era moreno, alto e forte", conta a mulher.

Ela relatou tudo nas redes sociais e viu que outras mulheres também passaram pela mesma situação. Após denunciar o motorista ao aplicativo Uber, a vítima prestou queixa na delegacia de Polícia Civil, que trabalha para identificar o rapaz.

Resposta

A Uber considera inaceitável o uso de violência. Esperamos que motoristas parceiros e usuários não se envolvam em brigas e discussões e que contatem imediatamente as autoridades policiais sempre que se sentirem ameaçados.

No caso específico, os relatos da usuária e do motorista parceiro apresentam contradições, que só poderão ser elucidadas pelas investigações. A Uber está à disposição das autoridades competentes para colaborar, nos termos da lei.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias