CASO LEANDRA

Homem suspeito de feminicídio deve se entregar à polícia nesta quarta-feira, diz delegado

Afirmação do delegado veio após conversa com o advogado do suspeito do crime

Thalis Araújo
Thalis Araújo
Publicado em 10/02/2020 às 22:09
Notícia
Foto: Wellington Lima/JC Imagem
FOTO: Foto: Wellington Lima/JC Imagem
Leitura:

O delegado Sylvio Romero, que está provisoriamente à frente das investigações do assassinato de Leandra Jennyfer da Silva disse, em entrevista concedida à TV Jornal, nesta segunda-feira (10), que o principal suspeito do crime, o companheiro Raphael Cordeiro Lopes, deve se entregar à polícia na próxima quarta-feira (12). O delegado disse isto após conversa com o advogado do suspeito.

"Eu já fui contactado pelo advogado do suspeito, que disse que vai se apresentar na quarta-feira (12), mas não marcou ainda o horário. Ele está para ver, mas quarta-feira, certamente, vai se apresentar para depois esclarecer toda a situação. Ele (o advogado) disse que estava esperando as coisas se acalmarem mais um pouquinho para que seu cliente se apresentasse, porque está havendo uma repercussão muito negativa para seu cliente", explicou Sylvio Romero. Ainda de acordo com o delegado, ainda não foi definido quem ficará à frente das investigações do caso.

>> Número de mulheres assassinadas em Pernambuco preocupa especialistas

>> Veja mensagem que suspeito de matar companheira no Recife enviou para o pai da vítima

>> Ciara Carvalho: Arma dentro de casa encoraja feminicídio

>> Veja as histórias das mulheres assassinadas em Pernambuco

O delegado também disse que a arma que estava com Raphael tinha a numeração. "Como ela (a arma) foi para a perícia, nós estamos aguardando o laudo para saber a propriedade, posse e etc", explicou.

Ainda durante entrevista à TV Jornal, o policial desmente as informações de que a casa do casal tinha sido saqueada, além de detalhar como aconteceram as agressões entre os dois. "Não havia sinal de nenhum saque, pelo contrário, havia sinal de que houve uma luta, um desalinho dentro da mobiliária. Certamente, houve uma discussão mais acalorada, inclusive com agressão antes do cometimento do feminicídio", explicou, para completar: "A discussão começou fora da casa. No final da festa, ele estava consumindo drogas e ela reclamou veementemente, disse que iria se separar dele, foi pegar a criança e chegou em casa. Ou ele estava ou chegou depois e impediu a saída dela. Ela estava arrumando as coisas da criança para ir embora para a casa da mãe", disse o delegado.

Relembre o caso

Leandra Jennyfer da Silva, de 22 anos, foi assassinada na madrugada do último domingo (09), em sua casa, na comunidade do Cardoso, no bairro da Madalena, Zona Oeste do Recife. A fotógrafa estava com o suspeito do assassinato, o companheiro Raphael Cordeiro Lopes, 32, quando os dois haviam voltado de uma prévia carnavalesca que aconteceu em Olinda, no Grande Recife. Depois das agressões, que aconteceram na frente do filho mais novo da fotógrafa, de apenas um ano, o homem disparou contra a jovem. Leandra foi socorrida para o Hospital Getúlio Vargas, que fica no bairro do Cordeiro, na Zona Oeste do Recife, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Enterro de Leandra

Sob lágrimas de dor e saudades, familiares e amigos se despediram de Leandra Jennyfer. O velório aconteceu em um galpão, no bairro do Prado, na Zona Oeste do Recife, e o sepultamento no Cemitério da Várzea, também na Zona Oeste. 

>> Familiares se despedem de Leandra Jennyfer

Brigas constantes do casal

Segundo Josiane Oliveira, o casal brigava constantemente e Raphael era muito ciumento, diferente do que propagava nas redes sociais. Antes do crime, o casal compartilhou fotos feitas na prévia carnavalesca. Jane, como é conhecida, disse que já havia dado diversos conselhos a Leandra para acabar o relacionamento, devido aos comportamentos de Raphael. "Eu cheguei do trabalho hoje [domingo, 10], que eu trabalhei ontem [sábado, 08], no 'De Bar em Bar', fui me deitar. Acordei com a ligação da menina que toma conta do filhinho dela, dizendo que havia acontecido um acidente. Ela disse que Leandra tinha sido ferida no Braço. Quando eu chego, ela já vem dizendo que minha filha estava morta", afirma.

Projeto Uma Por Uma

Existe uma história para contar por trás de cada homicídio de mulher, em Pernambuco. O especial Uma Por Uma contou todas. Em 2018, o projeto mapeou onde as mataram, as motivações dos crimes, acompanhou as investigações e cobrou a punição dos culpados. Um banco de dados virtual, com os perfis das vítimas e agressores, além dos trágicos relatos que extrapolam a fotografia da cena do crime.

Foto: Wellington Lima/JC Imagem
Velório de Leandra foi marcado por dor e revolta - Foto: Wellington Lima/JC Imagem
Foto: Wellington Lima/JC Imagem
Velório de Leandra foi marcado por dor e revolta - Foto: Wellington Lima/JC Imagem
Foto: Wellington Lima/JC Imagem
Velório de Leandra foi marcado por dor e revolta - Foto: Wellington Lima/JC Imagem
Foto: Wellington Lima/JC Imagem
Velório de Leandra foi marcado por dor e revolta - Foto: Wellington Lima/JC Imagem

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias