FESTA

Caminhada do Forró homenageia a figura do sanfoneiro nesta quinta

A concentração será às 17h na Rua da Moeda, no Centro do Recife

Rute Arruda
Rute Arruda
Publicado em 26/06/2019 às 19:46
Notícia
Foto: Wesley D'Almeida/ Divulgação
A concentração será às 17h na Rua da Moeda, no Centro do Recife - FOTO: Foto: Wesley D'Almeida/ Divulgação
Leitura:

A tradicional Caminhada do Forró irá homenagear a figura do sanfoneiro nesta quinta-feira (27). Em sua 15ª edição, a caminhada precisou ser adiada devido as chuvas que atingiram o Grande Recife no último dia 13 de junho.

A concentração será às 17h, na Rua da Moeda, no Bairro do Recife, e o cortejo seguirá pelas ruas do Centro do Recife a partir das 19h. Os forrozeiros seguirão pelas ruas Mariz de Barros, Rio Branco, Bom Jesus até chegar à Praça do Arsenal, onde acontecerão várias apresentações. Sobem ao palco Petrúcio Amorim, Josildo Sá, André Macambira, Rogério Rangel, Nadia Maia, Andreza Formiga, Irah Caldeira, Pecinho Amorim e Edi Carlos. Além de um sexteto sanfônico formado por Cezzinha, Terezinha do Acordeon, Luizinho de Serra, Nenén Oliveira, Zé Bicudo e Derico Alves.

Festa do Fogo

Também nesta quinta, acontece a Festa do Fogo em homenagem ao Orixá Xangô. A festa será realizada no Pátio de São Pedro a partir das 18h. Como parte da cerimônia, os devotos dançam ao redor de uma grande fogueira. Participarão da cerimônia os afoxés Alafin Oyó e Omó Obá Dê.

Rodeando um grande fogueira, adoradores da divindade entoam cânticos e pedem por paz, justiça e respeito. “É uma festa muito gostosa, extremamente brincante, em que os terreiros fazem homenagem a Xangô e pedem pelo fim do racismo e a discriminação religiosa. Mais de 30 terreiros participam e levantam, mais uma vez, a bandeira de Pernambuco sem racismo”, comenta Mãe Elza de Iemanjá, coordenadora religiosa da Rede de Articulação Caminhada dos Terreiros de Pernambuco, que promove a Festa do Fogo há 10 anos. 

A relação com o São João teve início no período em que os negros africanos foram trazidos para o Brasil para serem escravizados. Como a crença predominante da época era a cristã, eles precisavam associar seus deuses aos santos católicos para poderem, disfarçadamente, fazerem seus cultos e festejos, conta Mãe Elza. A festa começa às 19h e é aberta a todo público. 

Programação

18h - Concentração
19h - Início do ?IRÈ
21h - Roda de ?ÀNGÓ
22h - Encerramento do ?IRÈ
22h10 - Chegada do Cortejo do Afoxé Alafin Oyó, padrinho dos Afoxés ?m? Obá Dê e Obá Ìrókò.
23h - Encerramento da FESTA DO FOGO 2019

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias