Lançamento

Angelina Jolie trabalhará com filho em filme sobre Camboja para o Netflix

Longa será uma adaptação do livro 'First They Killed My Father: A Daughter of Cambodia Remembers', sobre os sobreviventes do genocídio do regime do Khmer Vermelho

Da AFP
Da AFP
Publicado em 24/07/2015 às 8:10
Foto: AFP
Longa será uma adaptação do livro 'First They Killed My Father: A Daughter of Cambodia Remembers', sobre os sobreviventes do genocídio do regime do Khmer Vermelho - FOTO: Foto: AFP
Leitura:

A atriz Angelina Jolie dirigirá para o Netflix um filme sobre o genocídio no Camboja que contará com a participação de seu filho adotivo Maddox, de origem cambojana, informou a plataforma de filmes on-line.

Trata-se da adaptação do livro "First They Killed My Father: A Daughter of Cambodia Remembers", sobre os sobreviventes do genocídio do regime do Khmer Vermelho.

O filme estará disponível para todos os assinantes do Netflix no mundo no fim de 2016 e será apresentado em festivais internacionais.

Angelina Jolie disse em um comunicado ter ficado "profundamente impactada" pelo livro escrito pela ativista cambojana Loung Ung.

Loung tinha cinco anos quando começou, em 1975, o genocídio que deixou mais de dois milhões de mortos ao longo de quatro anos. No livro, ela conta sua experiência como criança-soldado em um campo de trabalho forçado para órfãos.

"Aprofundou para sempre minha compreensão sobre como as crianças vivem a guerra e como elas são afetadas por essas lembranças. Além disso, ajudou-me a me aproximar mais do povo do Camboja, o país do meu filho", completou.

Maddox, de 13 anos e que também é ator, estará envolvido na produção do filme, disse o Netflix em um comunicado, sem informar qual será sua contribuição. Angelina Jolie e Loung Ung se conheceram no Camboja em 2001, um ano depois da publicação do livro. A amizade acabou levando à adaptação da obra para um roteiro.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias