Cinema

O grande fracasso de Kéfera Buchmann

O novo filme do qual Kéfera Buchmann participa faz o espectador que não gostou do anterior sentir saudade

JEFFERSON SOUSA
JEFFERSON SOUSA
Publicado em 18/11/2016 às 5:00
Divulgação
O novo filme do qual Kéfera Buchmann participa faz o espectador que não gostou do anterior sentir saudade - FOTO: Divulgação
Leitura:

O novo filme do qual Kéfera Buchmann participa faz o espectador que não gostou de É Fada! sentir saudade da última produção e o público fiel evitar comentar sobre a nova.

Por mais que a divulgação tenha girado em torno do nome da youtuber, ela não é a protagonista. Greice Barros interpreta a personagem principal, Rose, uma dona de casa que, devido a seus problemas com a família, vê como saída se inspirar na telenovela protagonizada por Catarina (Kéfera Buchmann), mulher que vive um relacionamento caótico com o possessivo marido.

Até aí tudo bem, mas a narrativa tropeça em si mesma quando tenta construir uma interlocução entre as duas histórias – a da novela e a de Rose –, depois disso, é só ladeira abaixo: muitas informações descontextualizadas que danificam a linearidade da trama; fotografia que aparenta ter sido feita às pressas, e falhas na ambientação histórica – pois era para ser um filme de época – são só algumas dos pontos negativos.

O ROTEIRO E A PRODUÇÃO

É possível imaginar o diretor Gil Baroni encontrando o roteiro de O Amor de Catarina amassado por trás de sua cama e pensando “por que não?”. Bem, foi praticamente assim. A produção do filme tinha sido aprovada ainda em 2009 pela Ancine, com um orçamento quase milionário, porém o projeto foi dado como cancelado. 

Em 2014 o filme voltou a ser produzido, desta vez totalmente independente, usando apenas os R$ 180 mil do Prêmio Estadual de Cinema e Vídeo do Paraná, de 2012. A insistência poderia até ter trazido bons frutos, se não fosse pelo amadorismo de todo o elenco e, principalmente, do diretor estreante.

Algo que já causava estranhamento era o fato de que Kéfera vinha divulgando pouquíssimo o filme, talvez pelos problemas pessoais que enfrentou recentemente, ou simplesmente por já imaginar a tragédia de público que estaria por vir: apenas duas pessoas, além da reportagem, assistiram à sessão de estreia das 17h30, no UCI Kinoplex Tacaruna. Ambos espectadores disseram que foram ver por causa da webcelebridade e saíram cabisbaixos, e reclamando.

Confira o trailer:

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias