Internautas compartilham 'desafio Bird Box' e Netflix se pronuncia

Em sete dias, Bird Box foi visto por 45 milhões de assinantes e bateu record da Netflix

Foto: Divulgação
Em sete dias, Bird Box foi visto por 45 milhões de assinantes e bateu record da Netflix - FOTO: Foto: Divulgação

Desde o lançamento de Bird Box, na Netflix, muitos memes surgiram na internet, os quais brincam com os nomes dos garotos que acompanham Malorie e com situações que seria melhor não ver. Porém, houve quem entrasse no 'desafio Bird Box', o que motivou a plataforma de streaming a emitir um comunicado.

Vídeos publicados no Twitter ou no YouTube com a hashtag #BirdBoxChallenge mostram pessoas tentando fazer atividades do dia a dia com os olhos vendados. Alguns se arriscam a andar pelas ruas sem ver e prolongam o desafio por 24 horas. O filme fez tanto sucesso que, em sete dias, Bird Box foi visto por 45 milhões de assinantes e bateu record da Netflix.

Em seu perfil oficial no Twitter, a plataforma deixou um alerta para os que aceitam o desafio. "Não acredito que tenho de dizer isso, mas: por favor, não se machuquem com o desafio Bird Box. Nós não sabemos como começou, e apreciamos o amor [pelo filme], mas o Garoto e a Garota têm apenas um desejo para 2019 e é que vocês não acabem em um hospital por causa de memes", disse a nota.

O FILME

Os fãs do filme estrelado por Sandra Bullock tiveram outra atitude inusitada: transformar uma casa, em uma cidade da Califórnia, em ponto turístico. Isso porque a propriedade é a mesma que aparece no longa metragem, onde Malorie e outras pessoas da trama se refugiam da criatura que provoca suicídios.

Localizada em Monrovia, a residência tem sido alvo de visitantes todos os dias, que chegam para tirar fotos, inclusive com os olhos vendados. A dona da casa afirmou ao site TMZ que as pessoas são educadas e algumas pedem permissão para fotografar. Ela recebeu US$ 12 mil para ter sua propriedade utilizada nas filmagens de Bird Box.

Nota da PF sobre o caso

A Polícia Federal (PF) emitiu um alerta sobre os perigos do desafio. Por meio de nota, a PF afirmou que, dependendo da situação, quem incentivar a prática poderá responder por lesão corporal grave ou seguida de morte, com penas que podem ir de 1 a 12 anos de reclusão. Leia na íntegra.

Mais um perigo está começando a ganhar visibilidade nas redes sociais – desta vez é o chamado “Desafio Bird Box” ou “Desafio Caixa de Pássaros”. O filme que é estrelado pela atriz Sandra Bullock foi exibido em dezembro do ano passado e se tornou um dos maiores sucessos de audiência. Porém, uma situação tem chamado a atenção da própria Netflix, levando-a emitir uma nota desencorajando as pessoas a participarem de tais desafios devido aos perigos em que as pessoas podem serem acometidas.

Nos vídeos postados, diversos internautas aparecem tentando realizar tarefas cotidianas com os olhos vendados, como se vivessem no mundo fictício do filme onde criaturas misteriosas invadem a terra, levando todos que olham para elas a enlouquecer e cometer suicídio. O desafio consiste em fazer tarefas e/ou missões com os olhos vendados como os personagens do filme. Tal atividade parece simples e inocente, mas as pessoas estão perdendo a noção e fazendo coisas realmente perigosas, como atravessar a rua correndo o risco de serem atropeladas ou cair num buraco, andar pela casa correndo o risco de bater a cabeça nos móveis ou nas paredes provocando traumatismos cranianos ou quebra de pernas e braços ou até mesmo cair de determinadas alturas.

Os pais como sempre devem redobrar a atenção e estar atentos ao que os filhos estão fazendo ou sendo encorajados por terceiros para praticar tais desafios com o objetivo de evitar tragédias ou acidentes que coloquem em risco a vida de seus familiares, principalmente crianças. No Youtube já tem inclusive vários vídeos com adolescentes brasileiros realizando tais desafios. Dependendo da situação quem incentiva ou induz tais práticas poderá ser responsabilizado por lesão corporal grave ou seguida de morte com penas que podem variar de 1 até 12 anos de reclusão.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias