Cena de Regina Casé e Jéssica Ellen em 'Amor de Mãe' comove a web

Sequência exibida no capítulo desta segunda-feira (13) falou sobre como a personagem Camila precisava ser forte sendo 'mulher, negra e pobre'

Foto: TV Globo/Reprodução
Sequência exibida no capítulo desta segunda-feira (13) falou sobre como a personagem Camila precisava ser forte sendo 'mulher, negra e pobre' - Foto: TV Globo/Reprodução

Nesta segunda-feira (13), a TV Globo exibiu o capítulo 43 da novela Amor de Mãe. Mas logo no primeiro bloco, uma cena comoveu o público das redes sociais tamanha a sensibilidade do texto da autora Manuela Dias sendo dito através das personagens Camila (Jéssica Ellen) e Lurdes (Regina Casé), sua mãe.

A sequência marcante, de quase cinco minutos, mostra Camila se recuperando no hospital após ter sido baleada na escola em que ela trabalha como professora, além de descobrir na internação que também espera um filho de Danilo (Chay Suede). Na cena, quando ouve Lurdes dizer que a filha precisava ser forte diante das adversidades, a jovem desabafou aos prantos.

"O problema é esse. Eu vou sempre ter que ser forte? Sempre? Eu tenho que ser forte porque a gente é pobre e eu quero estudar. Eu tenho que ser forte porque eu sou mulher e pra mulher tudo é mais difícil. Tem que aguentar sempre um babaca olhando pro meu peito ao invés de prestar atenção no que eu tenho a dizer. Eu tenho que ser forte porque eu sou preta e a gente vive num país racista. Eu tenho que ser forte porque eu sou professora, porque eu tentei ajudar meus alunos e levei um tiro. Eu tô cansada, mãe! Eu tô cansada de ser forte, mãe. Eu não vou poder ser fraca nenhum dia?", disse Camila.

Diante do drama da filha, Lurdes respondeu à jovem professora à altura: "Olha pra mim. Tu vai ter que ser forte. Tu não pode fraquejar. Ainda não dá pra ser fraca. Nesse mundo que a gente vive, não dá. Eu não guento isso: tudo você tem que ser a melhor, passar em primeiro lugar. Isso me dá raiva. Por que tem quer ser assim? Mas é assim. A gente tem que continuar assim, aproveitando cada chance da vida. Por que tem que estar o tempo todo assim? Porque a gente não é gente, não; a gente é sobrevivente. Ainda mais pra nós, pra mulher, é muito mais difícil. Ainda mais tu, da tua cor. Como eu queria que ninguém te julgasse pela cor da tua pele. Mas ainda não dá. A gente tem que continuar empurrando o mundo, mesmo ele sendo muito pesado... Empurrando para ele. mudar. Tu virou uma professora. Tá educando um monte de menino. Pra mudar o mundo. E se a gente for bem forte, a filha desse aí que tá na sua barriga vai poder fraquejar. Por enquanto não dá, não, filha".

REPERCUSSÃO

Com esse texto forte e a representatividade da cena - uma mãe nordestina que consola uma filha negra -, que fala de preconceito, machismo e racismo, a comoção nas redes sociais com Amor De Mãe foi quase unânime. "Que cena linda entre Lurdes e Camila! Pura emoção! Manuela Dias, que texto perfeito!", disse uma usuária no Twitter. "Meu Deus, Camila e Lurdes mostrando como é romantizado isso da 'mulher guerreira'. Perfeitas que não podem nunca fragilizar num mundo machista e cheio de masculinidade frágil", escreveu outra usuária do microblog.

"Esse diálogo de Lurdes e Camila foi tão bem escrito e tão bem interpretado. Acho um absurdo reclamarem que essa novela é ruim por ser muito realista. É uma novela incrível e necessária", escreveu outro seguidor.

REVEJA UM TRECHO DA CENA:

Newsletters

Ver todas

Fique por dentro de tudo que acontece. Assine grátis as nossas Newsletters.

Últimas notícias