polêmica

Foto de Karina Buhr gera debate e protesto nas redes sociais

Vários usuários do Facebook que compartilharam a imagem de capa de Selvática, novo álbum da cantora, tiveram seu perfil notificado ou suspenso

Allan Nascimento
Allan Nascimento
Publicado em 16/09/2015 às 10:27
Foto: Priscila Buhr/Divulgação
Vários usuários do Facebook que compartilharam a imagem de capa de Selvática, novo álbum da cantora, tiveram seu perfil notificado ou suspenso - FOTO: Foto: Priscila Buhr/Divulgação
Leitura:

Quem conhece Karina Buhr, pessoalmente ou artisticamente, sabe que ela é alguém que toma partido. “Mulher, tua apatia te mata/Não queria de graça/O que nem você dá pra você”, está dito na faixa Eu Sou Um Monstro, de seu próximo disco, Selvática (com lançamento marcado para o dia 29), já liberada no SoundCloud. Mantendo-se fiel ao que pratica e defende, a cantora se dispôs, mais uma vez, a expor-se. A foto de capa do trabalho, em que ela mostra os seios, vêm recebendo repetidas denúncias de usuários no Facebook – gente que se esconde no anonimato assegurado pela rede social para se posicionar contra ou a favor de seus dogmas, sejam eles quais forem. 

“O Facebook sempre me censurou. Faço zines sexuais desde 2012 e coloquei vários desenhos meus no perfil e que foram censurados. Eu já esperava que isso fosse acontecer a respeito dessa foto, já botei sabendo do risco”, contou Karina em entrevista ao JC por telefone. 

Desta vez, o perfil dela não chegou a ficar fora do ar, fato que já ocorreu em outras três ocasiões. “Quem publicou a foto foi a minha produtora e eu compartilhei. O perfil dela que foi notificado”, diz a cantora, que questiona os critérios que o Facebook utiliza para tomar essas posições. “Pelo menos duas pessoas me disseram que receberam o aviso de que o conteúdo foi denunciado, mas que a própria rede não considerou a denúncia. Até o Facebook é confuso sobre o que pode ser publicado”, relata Karina, que ainda explica que a foto foi escolhida por representar muito do trabalho que vai ser lançado – e sobre o qual ela preferiu ainda não falar a respeito.

Em apoio à intolerância despejada sobre o trabalho artístico, várias pessoas têm se manifestado na web, seja compartilhando a capa do álbum, seja divulgando fotos pessoais com os seios à mostra, ou ainda publicando na rede capas de outros discos com fotos de nus – sempre com a hashtag #Selvática. A jornalista pernambucana Aline Feitosa é uma dessas vozes. “Quando abri o meu perfil, pela manhã, e vi a notificação da denúncia, resolvi divulgar uma foto feita pela meu marido e que eu tinha deixado para publicar depois”, explica. “O disco de Karina é uma obra de arte, não faz sentido essa notificação. A partir disso, resolvi publicar a foto em que mostro os meus seios”, conta Aline, que aparece posando em uma banheira. Por conta disso, nesta manhã o perfil dela foi desativado. 

Assim, como forma de protesto e expressão artística, o fotógrafo Beto Figueiroa, marido da jornalista, convocou para hoje, das 14h às 17h, uma sessão fotográfica com mulheres dispostas a mostrarem os seios. Na convocatória divulgada na página pessoal de Aline, ela explica que a ação só acontecerá se houver um mínimo de 10 mulheres participando, para que a iniciativa tenha o efeito e alcance desejados.

“Hoje eu não quero falar de beleza/ Ouvir você me chamar de princesa/ Eu sou um monstro”, canta Karina Buhr na faixa já conhecida de Selvática, reafirmando, em sua música, que está sempre pronta para o bom combate.

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias