Separação

Saiba quem são os seis filhos de Angelina Jolie e Brad Pitt

A atriz, que já passou por um câncer, quer a guarda das seis crianças

JC Online
JC Online
Publicado em 20/09/2016 às 13:10
Foto: Divulgação
A atriz, que já passou por um câncer, quer a guarda das seis crianças - FOTO: Foto: Divulgação
Leitura:

Com o fim do casamento entre Angelina Jolie e Brad Pitt divulgado na imprensa e confirmado por Robert Offer, advogado da atriz, nesta terça-feira (20), o site TMZ informou que Jolie deseja a guarda total das seis crianças que formam a sua família com Pitt, que poderá visitá-los regularmente. O casal tem seis filhos, sendo três adotivos e três biológicos.

São eles: Maddox Chivan Jolie-Pitt, de 15 anos, adotado no Camboja em março de 2002; Pax Thien Jolie-Pitt, de 12 anos, adotado no Vietnã em março de 2007; Zahara Marley Jolie-Pitt, de 11 anos, adotada na Etiópia em julho de 2005; Shiloh Nouvel Jolie-Pitt, de 10 anos, primeira filha biológica do casal, nascida na Namíbia; E os gêmeos Knox León Jolie-Pitt e Vivienne Marcheline Jolie-Pitt, de 8 anos, filhos biológicos, que nasceram na França.

Para diversificar ainda mais o cotidiano da família, todos os seis filhos do casal estudam línguas diferentes. Segundo a atriz, que concedeu uma entrevista recente à rádio BBC: "Perguntei a eles que línguas eles queriam aprender e Shi está estudando Khmai, uma língua do Camboja, Pax está focado em aprender vietnamita, Mad está fazendo aulas de alemão e russo, Z está falando francês, Vivienne quer muito aprender árabe, e Knox está aprendendo língua de sinais", elencou Angelina.

SAÚDE FRÁGIL

Apesar de ser mãe presente, a saúde de Angelina Jolie inspira cuidados. No último mês de abril, o tabloide The National Enquirer relatou que a atriz foi hospitalizada por sofrer de "câncer, anorexia e paranoia", chegando a pesar 79 libras (ou 35,5 kg no Brasil), o que teria levado Brad Pitt a interná-la.

Em 2013, ela se submeteu a uma dupla mastectomia a fim de evitar câncer de mama e ovário. Exames preliminares constataram que ela tinha 87% de chance de desenvolver a doença.

Últimas notícias