Resposta

Henri Castelli pede desculpas por foto com peixe: 'Momento infeliz'

Ator se pronunciou sobre polêmica com animal ameaçado de extinção nesta terça-feira (15)

JC Online
JC Online
Publicado em 15/08/2017 às 19:42
Foto: Instagram/@henricastelli/Reprodução
Ator se pronunciou sobre polêmica com animal ameaçado de extinção nesta terça-feira (15) - FOTO: Foto: Instagram/@henricastelli/Reprodução
Leitura:

O ator Henri Castelli se pronunciou nesta terça-feira (15), através de sua assessoria de imprensa, sobre a polêmica em torno da foto que publicou em cima de uma moto com um peixe mero, espécie ameaçada de extinção, na garupa. Ele publicou a imagem em seu Instagram na última sexta-feira (11).

"Na semana passada, fiz uma brincadeira ao ser abordado por um pescador que me pediu para tirar uma foto. Ele carregava em sua moto um peixe muito bonito. Eu não matei o peixe e tampouco sabia que aquele tratava-se de um mero. Foi um momento rápido e de distração em que tirei e publiquei uma foto, da qual me envergonho agora. Momento infeliz", afirmou, por meio de sua assessoria de imprensa, através de nota publicada no portal UOL.

"Entrei na brincadeira do pescador e não reconheci o mero - um dos peixes mais incríveis que já vi no fundo do mar. Admito que errei, condeno a pesca e caça de espécies ameaçadas de extinção e tenho o maior respeito pela natureza e pelos animais. Peço desculpas pelo mau exemplo e agradeço as mensagens de apoio e carinho que recebi", completou.

Ainda segundo o portal UOL, a pesca do mero está proibida pelo Ministério do Meio Ambiente até 2023.

Além disso, a nota de Henri Castelli não foi o suficiente para comover o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama). O órgão informou que o ator será penalizado com uma multa pela pesca do animal. Por se tratar de uma espécie ameaçada de extinção, o valor foi fixado em R$ 5 mil.

VEJA A FOTO DE HENRI CASTELLI:

Foto: Instagram/Reprodução

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias