Alta

Após rebaixamento da nota, dólar chega a R$ 4,35 nas casas de câmbio

Um dia após o anúncio da perda do selo de bom pagador pela agência americana, o governo tenta segurar a alta da divisa norte-americana

Da Folhapress
Da Folhapress
Publicado em 10/09/2015 às 13:50
Foto: Carlos Severo/Fotos Públicas
Um dia após o anúncio da perda do selo de bom pagador pela agência americana, o governo tenta segurar a alta da divisa norte-americana - FOTO: Foto: Carlos Severo/Fotos Públicas
Leitura:

O rebaixamento da nota brasileira pela Standard & Poor's tem reflexo direto no câmbio nesta quinta-feira (10). Pior para quem precisa comprar dólar turismo, onde a cotação já atinge R$ 4,35 no cartão pré-pago de algumas casas de câmbio de São Paulo pesquisadas pela reportagem.

Um dia após o anúncio da perda do selo de bom pagador pela agência americana, o governo tenta segurar a alta da divisa norte-americana. O Banco Central leiloou nesta quinta US$ 1,5 bilhão de linhas de crédito para reduzir a volatilidade do mercado.

Mesmo com a tentativa, o dólar comercializado aos turistas, que engloba o valor da taxa de câmbio à vista, mais taxas e margem de lucro de corretoras, já era cerca de 3% mais caro na comparação com a semana passada.

Em espécie, o dólar variava entre R$ 4,05 e R$ 4,10, já com a incidência de 0,38% de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras), próximo das 11h desta quinta. Já no cartão pré-pago, onde a tributação é de 6,38%, a moeda norte-americana estava cotada entre R$ 4,25 e R$ 4,35.

Dólar em alta - Moeda norte-americana dispara após Brasil perder selo de bom pagador

EURO QUASE R$ 5

O euro também era comercializado em alta nesta quinta, chegando a R$ 4,88 no cartão pré-pago. Operadores de casas de câmbio consultadas pela reportagem demonstravam preocupação com a alta nas moedas estrangeiras.

Em espécie, a moeda única da União Europeia variava entre R$ 4,55 e R$ 4,60, já com IOF, enquanto que no cartão pré-pago, o euro era cotado entre R$ 4,77 e R$ 4,88, às 11h desta quinta.

Com a desvalorização do real, a orientação dos especialistas para quem está com viagem marcada para breve é comprar dólar agora e garantir a viagem. Se a viagem for feita num prazo maior, o conselho é adquirir a moeda aos poucos, para conseguir um preço médio.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias