Investigação

Defesa de Barusco pede sessão secreta para depoimento à CPI da Petrobras

O ex-gerente foi o primeiro convocado a prestar esclarecimentos sobre o esquema

Folhapress
Folhapress
Publicado em 09/03/2015 às 20:18
Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil
O ex-gerente foi o primeiro convocado a prestar esclarecimentos sobre o esquema - FOTO: Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil
Leitura:

A defesa do ex-gerente da Petrobras Pedro Barusco enviou ofício à CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Câmara dos Deputados que investiga irregularidades na estatal solicitando que o depoimento de seu cliente ocorra em sessão secreta. A fala do ex-gerente está marcada para esta terça-feira (10).

Barusco, que se tornou delator da Operação Lava Jato, da Polícia Federal, foi o primeiro convocado a prestar esclarecimentos sobre o esquema na CPI porque sua participação interessa a petistas e tucanos.

No caso do PT, porque citou ter recebido propinas de empresas em 1997, durante o governo Fernando Henrique Cardoso. No do PSDB, porque ele disse que o PT recebeu US$ 200 milhões em propinas durante dez anos.

Os advogados do ex-gerente recorreram à lei que define organização criminosa para solicitar o encontro reservado. Eles alegam que a norma garante ao colaborador não ter sua identidade revelada pelos meios de comunicação, nem ser fotografado ou filmado, sem sua prévia autorização por escrito.

A consultoria da Câmara ainda avalia se Barusco se enquadra na lei para requerer o benefício. O parecer será encaminhado ao presidente da CPI, Hugo Motta (PMDB-PB), mas precisará ser votado pelo plenário do colegiado.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias