FOCUS

Expectativa de retração do PIB em 2016 segue em 3,20%, mostra BC

Para 2017, o cenário segue um pouco melhor, com perspectiva de um PIB positivo

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo
Publicado em 22/08/2016 às 10:24
Foto: Fotos Públicas
Para 2017, o cenário segue um pouco melhor, com perspectiva de um PIB positivo - FOTO: Foto: Fotos Públicas
Leitura:

As projeções do relatório Focus desta semana não alteraram as expectativas para a atividade do País em 2016, que continuaram mostrando uma forte recessão. Pelo documento, as projeções para o Produto Interno Bruto (PIB) este ano seguiram indicando retração de 3,20%. Há um mês, o mercado previa uma queda de 3,27%. 

Para 2017, o cenário segue um pouco melhor, com perspectiva de PIB positivo. Ainda assim, o mercado prevê para o País, conforme o relatório Focus, um crescimento de apenas 1,20% no próximo ano, ligeiramente melhor que o 1,10% de uma semana atrás (mesmo valor projetado há um mês). 

Em junho, o BC informou no Relatório Trimestral de Inflação que sua nova estimativa para o PIB deste ano era de retração de 3,3%, ante baixa de 3,5% vista na edição anterior do documento. No caso de 2017, a estimativa do Ministério da Fazenda, atualizada na semana passada, é de 1,6% de crescimento. Antes, estava em 1,2%. Essa nova estimativa constará no Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA), a ser apresentado ao Congresso até o fim do mês. 

Produção Industrial

No relatório Focus, as estimativas para a produção industrial ainda sugerem um cenário difícil. A queda prevista para este ano seguiu em 5,95%. Para 2017, a projeção de alta da produção industrial foi de 0,75% para 1,05%. 

Dívida líquida/PIB

Já as projeções para o indicador que mede a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB para este ano passaram de 44,90% para 45,25%. Um mês atrás, estava em 44,45%. Para 2017, as expectativas no boletim Focus foram de 49,05% para 49,65%, ante projeção apontada um mês atrás de 49,00%.


O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias