Imóveis

Alta oferta de imóveis reduz valor do aluguel no Recife

No Recife, preço do metro quadrado custa R$ 25,60, menor que a média nacional

JC Online
JC Online
Publicado em 18/11/2016 às 10:30
Foto: Internet/reprodução
No Recife, preço do metro quadrado custa R$ 25,60, menor que a média nacional - FOTO: Foto: Internet/reprodução
Leitura:

Os preços de aluguéis residenciais no Brasil registraram queda nominal de 0,17% na passagem de setembro para outubro de 2016, acumulando a 17ª variação negativa nos últimos 18 meses. Agora, o preço médio do metro quadrado no País é de R$ 30,03. No Recife, a variação mensal foi de -0,14%, chegando ao valor médio de R$ 25,60. Os dados são do Índice FipeZap, que avalia o preço médio do metro quadrado dos imóveis em 11 cidades, com base em anúncios da internet. 

Já no acumulado do ano e dos últimos 12 meses, a queda é mais acentuada. No acumulado do ano, o valor caiu 3,10% no Brasil. Já no Recife, a variação negativa foi de 1,37%. Nos últimos 12 meses, o índice no País caiu 3,80%. Na capital pernambucana, não é possível fazer a análise nos últimos 12 meses, porque os dados só começaram a ser captados em janeiro deste ano. 

Entre os motivos para a queda persistente, está o aumento da oferta de aluguel, devido à dificuldade em vender imóveis. “Houve uma época em que os preços estavam muito altos, por causa do aumento da renda e do número de famílias no Brasil. Com o tempo, era natural a desaceleração no preço. Na crise, a demanda caiu, por causa do aumento no desemprego e a redução da renda das famílias. A oferta de locação cresce porque as pessoas não conseguem vender”, explica o economista da Fipe, Bruno Oliva.

O corretor imobiliário Márcio José da Silva é um dos que enfrentam dificuldades na atual conjuntura. Ele possui um apartamento no Bongi, na Zona Oeste do Recife, e já baixou o preço este ano para tentar locar o imóvel. “Consegui alugar depois de seis meses. Baixei o preço de R$ 1.200 para R$ 890. Também encontro dificuldades para negociar aluguel e para vender imóveis de clientes. Senti que o preço dos aluguéis caiu 30% e da venda, 20%, na Região Metropolitana do Recife este ano”, afirma.

A queda no preço dos imóveis é ruim para quem consegue complementar a renda com locação. O retorno médio anualizado do aluguel foi de 4,4% em outubro. No Recife, a média é de 5%, o segundo maior retorno entre as 11 cidades pesquisadas, perdendo para Salvador, com 6,3%. “Investir em aplicações em cima de taxa de juros é mais rentável, garante um retorno de 7%, enquanto o aluguel rende 4,4% ao ano”, explica Bruno Oliva. 

Esperança

Com a esperança de vender, os proprietários mantêm os preços dos imóveis. Segundo avaliação da FipeZap, o valor para venda cresceu em um ritmo lento. Em outubro, na média de 20 cidades, houve alta de 0,11% em outubro. No acumulado do ano, a variação positiva é de 0,38%. Já nos últimos 12 meses, cresceu 0,33%. No Recife, aumentou 0,58% na passagem de setembro para outubro e caiu 0,19% no acumulado do ano e 0,33% nos últimos 12 meses.

“Em 2008 e 2009, houve uma euforia no mercado imobiliário. Os preços estavam muito altos, por causa da situação econômica. Hoje em dia, muitos proprietários querem continuar a praticar o mesmo valor, mas não conseguem vender. É preciso fazer uma reavaliação após três meses, porque manter um imóvel fechado custa mais caro”, afirma o conselheiro e corregedor federal do Conselho Federal de Corretores Imobiliários (Cofeci), Petrus Mendonça. 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias