INSTABILIDADE

Fora do ar no mundo inteiro, Whatsapp conta com apenas 57 funcionários

Aplicativo apresentou instabilidades na noite desta quarta-feira (3)

Editoria de Economia
Editoria de Economia
Publicado em 03/05/2017 às 18:30
Foto: Reprodução
Aplicativo apresentou instabilidades na noite desta quarta-feira (3) - FOTO: Foto: Reprodução
Leitura:

ATUALIZADA ÀS 21H47

O principal assunto da internet na noite desta quarta-feira (3) foi a queda no Whatsapp. No Twitter e nas redes sociais que serviram como ponto de desabafo, usuários reclamavam da pane no aplicativo. O que a maior parte dos internautas não sabe é que apenas 57 pessoas trabalham na plataforma.

Segundo o site americano Business Insider, quando o Facebook comprou o Whatsapp, a plataforma contava com 35 funcionários. Atualmente, esse quadro não aumentou muito: apenas 57 profissionais trabalham na empresa. Isso significa que há um desenvolvedor por cerca de 18 milhões de usuários ativos.

Há relatos de problemas em países como Brasil, México, Peru, Itália, Alemanha.

Problema

A pane no aplicativo durou cerca de duas horas e voltou com certa instabilidade para alguns usuários. Procurada pela imprensa de todo o mundo, a empresa apenas confirmou ter ciência do problema e que estava trabalhando para resolvê-lo. As causas da falha, no entanto, não foram divulgadas.

Usuários

O aplicativo de troca de mensagens instantâneas é o mais utilizado no Brasil e conta com cerca de um bilhão de usuários no mundo. 

São mais de 42 bilhões de mensagens enviadas todos os dias. O Whatsapp ganha, por dia, mais de 1 milhão de usuários. Das 42 bilhões de mensagens enviadas diariamente, 1,6 bilhão são fotos e 250 milhões de vídeos. O Whatsapp foi comprado pelo Facebook em 2014, por US$ 19 bilhões. Esse valor foi superior ao orçamento anual da Nasa, na época, de 17 bilhões de dólares. O aplicativo é responsável por 27% de todas as selfies publicadas na internet, incluindo redes sociais e blogs. Esse é o resultado de uma pesquisa realizada pela Digital Company Statistics.

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias