Black Friday

Black friday impulsona venda com conteúdo no Brasil

A Black Friday, além de mudar o modo de consumo do brasileiro, tem mexido com o planejamento de marketing e vendas dos principais players de varejo

Davi Souza
Davi Souza
Publicado em 29/11/2019 às 11:36
Notícia
Foto Divulgação
A Black Friday, além de mudar o modo de consumo do brasileiro, tem mexido com o planejamento de marketing e vendas dos principais players de varejo - FOTO: Foto Divulgação
Leitura:

Rio de Janeiro - A Black Friday que tem mudado o modo de consumir do brasileiro também tem mexido com o planejamento de marketing e vendas dos principais players de varejo do País. Prova dessa mudança, a gigante de tecnologia Google, através do You Tube, iniciou ontem sua primeira transmissão conjunta de youtubers, que durante cinco horas levaram conteúdo e ativações de ofertas a, no mínino, uma base de 130 milhões de inscritos, a partir de estúdios montados exclusivamente para isso no You Tube Space Rio.

Reunindo marcas como a Americanas.com, Adidas, Carrefour, Etna, Chevrolet e PicPay, o Youtube busca se consolidar como canal de vendas, atrelando a isso a geração de conteúdo e rompendo a forma tradicional de fazer publicidade.

"Do lado da plataforma, a gente consegue ter essa visibilidade, participando de um momento tão focado em performance. É inovador o modelo de uma live de cinco horas buscando entretenimento e e convencimento, através da venda. Conciliamos o momento do consumidor com todo o nosso aprendizado de conteúdo, trazendo de uma só vez um grupo relevante de youtubers", diz Alessandra Gambuzzi, head de pacotes e upfronts do Google Brasil.

No time de influencers foram escalados nomes como Felipe Neto, à frente do "Show da Black Friday", além dos canais Kondzilla, Nostalgia, Desempedidos, GIOH (da atriz Giovanna Ewbank), Bruno Correa, Eu Fico Loko, Diva Depressão, Franciny Ehlke e Luci Gonçalves, que reúnem uma base de 130 milhões de inscritos.

"Esse formato traz engajamento, entretenimento e a gente está vendendo ao consumidor. Essa é a Black Friday que a gente espera ser a mais omnichanel, e esse formato permite que a gente fale do atrativo do e-commerce e ao mesmo tempo leve num segundo momento o cliente para a loja física", acredita a gerente de marketing do Carrefour, Silvana Balbo.

Só para este ano, espera-se a entrada de aproximadamente 8 milhões de e-shoppers entrando no mercado virtual, ou seja, a data tem o poder de levar para o e-commerce milhões de brasileiros que nunca compraram via online.

"Na Black a gente dobra participação de mercado, e vai para outro patamar de venda a partir daquele momento. O digital está permitindo campanhas muito mais grandiosas, e demandando muito menos dinheiro", comemora Silvana.

Para se ter noção do potencial desse novo front, a Etna, que também participa do show da Black Friday, reduziu entre 70% a 80% a sua verba de TV, direcionando para o online. "Eu acho que foi até tarde que fizemos esse movimento. Nem plano de mídia temos fechado para o ano que vem", adianta o CEO da Etna, Roberto Szach.

O movimento, inclusive parece inevitável. No grupo carrefour, o último ano trouxe um crescimento de 44% no e-commerce ao passo que as lojas físicas tiveram incremento de 9% nas vendas. Este ano, o ticket médio gasto na Black Friday deve crescer em média 20% no varejo como um todo.

Leme

"É uma iniciativa incrível para a indústria de comunicação e mercado anunciante. De maneira muito orgânica as marcas estão sendo envelopadas numa narrativa sem interrupção O que é ótimo para as marcas e para o público. A partir daí, iremos olhar os números da audiência vivamente, e esperamos a  maior audiência possível. A nossa transmissão é uma mistura de Chacrinha, com Luciano Huck e Polishop revisitados. Se em cinco horas, a gente passasse quatro horas só vendendo, a audiência seria horrível. O que estamos buscando é unir o entretenimento e o comercialização de um jeito orgânico", resume o sócio de Felipe Neto na empresa Play9, João Pedro Paes Leme, que está à frente do projeto junto com a Google e prevê a pulverização desse modelo para as demais datas temáticas do comércio.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias