CONSUMO

Horário de verão começa no próximo domingo, dia 18

A iniciativa será adotada nos Estados do Sul, Sudeste e Centro-Oeste. O Nordeste e o Norte ficam de fora

Da Editoria de Economia
Da Editoria de Economia
Publicado em 14/10/2015 às 8:00
Heudes Regis/JC Imagem
A iniciativa será adotada nos Estados do Sul, Sudeste e Centro-Oeste. O Nordeste e o Norte ficam de fora - FOTO: Heudes Regis/JC Imagem
Leitura:

O horário de verão começa a zero hora do próximo domingo (dia 18), quando os relógios serão adiantados em uma hora nos Estados do Sul, Sudeste e Centro-Oeste. No Nordeste e Norte, não haverá modificação. Localmente, é alterado o horário da programação da televisão. Nos anos anteriores, os bancos abriram e fecharam uma hora mais cedo em várias cidades do interior de Pernambuco. 

O consumidor que vai viajar deve prestar atenção aos horários dos voos, pois podem ser alterados aqueles que vão para as demais regiões que tiveram o horário alterado. Por exemplo, um voo que sai às 7 horas para o Rio de Janeiro ou São Paulo pode sair às 6 horas para chegar lá no mesmo horário. Segundo a assessoria de imprensa da Infraero, vale o horário que consta no bilhete aéreo porque as companhias aéreas já emitem as passagens com os horários modificados, já que o horário de verão começa, geralmente, no terceiro domingo de outubro. Os passageiros que tiverem dúvida podem ligar para os telefones de plantão da Infraero: 33224188 ou 33224353. O serviço funciona 24 horas. 

No próximo final de semana, os estudantes que vão fazer o Enem em todo o Estado devem prestar atenção porque os portões fecharão às 13 horas no horário de Brasília e às 12 horas em Pernambuco.

A alteração no horário vai até o dia 21 de fevereiro de 2016. A adoção do horário de verão traz uma economia superior a R$ 4 bilhões que representa o valor estimado em investimentos no sistema elétrico que atenderiam a uma demanda adicional prevista de aproximadamente 2.250 megawatts (MW) no parque gerador nacional, de acordo com o Ministério de Minas e Energia (MME). Em termos de energia, a iniciativa gerou uma redução média de 4,6% no horário de ponta – entre as 17 horas e 20 horas – nos últimos anos. 

A medida é adotada porque no verão o consumo de energia aumenta em todo o País. Nesta estação do ano, anoitece mais tarde no Sul e Sudeste e a iniciativa faz as pessoas usarem mais a luz natural nessas regiões. Quando foi implantado no Nordeste, a economia com a alteração foi pífia porque muitas pessoas acordaram ainda no escuro, gastando mais energia. 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias