TRABALHO

Dengue, zika e chicungunha afetam 92% das indústrias da RMR

Levantamento da Fiepe foi feito sobre casos de janeiro e fevereiro

Ângela Belfort
Ângela Belfort
Publicado em 26/02/2016 às 16:15
.
Levantamento da Fiepe foi feito sobre casos de janeiro e fevereiro - FOTO: .
Leitura:

Atualizada às 16h51

A dengue, a zika e a chicungunha impactaram o quadro de funcionários de 92% das indústrias da Região Metropolitana do Recife (RMR) entre janeiro e 24 de fevereiro últimos, segundo uma pesquisa realizada pela Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco ( Fiepe). Ainda na RMR, O absenteísmo (falta ao trabalho) ocorreu em 42,7% das indústrias atingindo de 1% a 5% do seu quadro de pessoal. No Estado, 79,2% das indústrias foram afetadas com a tríplice epidemia. 

O impacto da epidemia no Agreste foi grande com 87,5% das empresas tendo uma parte dos seus funcionários atingidos pelas doenças transmitidas pelo Aedes aegypti. Ainda naquela região, cerca de 20% das empresas tiveram um absenteísmo superior a 50% do seu quadro laboral devido às arboviroses. “A Região Metropolitana foi mais afetada, mas o impacto foi um um pouco menor. No Agreste, o impacto foi maior porque as empresas são menores e as doenças atingiram percentuais mais altos de funcionários”, explica o coordenador da pesquisa e gerente do Núcleo de Economia e Negócios Internacionais da Fiepe, Thobias Silva.

Segundo ele, o estudo usou a mesma metodologia usada pela Confederação Nacional da Indústria para fazer sondagens. A pesquisa entrevistou gestores de 144 indústrias, das quais 52% estão na Região Metropolitana do Recife. Desse total, 16,1% são micros; 33,6% pequenas; 39,2% médias e 11% grandes. 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias