CRÉDITO

Fintech aposta na consultoria financeira para conter inadimplência

Empresas de Pernambuco colocam o Estado no terceiro lugar de devedores à fintech Weel

Lucas Moraes
Lucas Moraes
Publicado em 08/07/2018 às 9:00
Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil
Empresas de Pernambuco colocam o Estado no terceiro lugar de devedores à fintech Weel - FOTO: Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil
Leitura:

Fruto de investimentos que somam mais de US$ 8 milhões e com um crescimento de 30% ao mês, a fintech Weel, que oferece alternativas de crédito a micro e pequenos empreendedores em todo o Brasil, mira agora a consultoria financeira para tentar diminuir o número de inadimplentes. Pernambuco é um dos Estados que deve receber o novo serviço por ser a terceira região com o maior número de empresas devedoras.

Em todo o Estado, a Well atua com o adiantamento de recebíveis – empréstimo que adianta o que será recebido pela empresa, por exemplo, com uma venda a terceiros. “Vimos um nicho muito interessante para atuação no segmento das médias e pequenas empresas. Resolvemos ampliar o acesso a crédito desses empreendedores e criamos um algoritmo seguro para permitir o acesso ao crédito de forma rápida através de um aplicativo”, diz o CEO da empresa, Simcha Neumark. De acordo com ele, por meio do app, comerciantes e donos de médias e pequenas empresas podem criar uma conta, registrar seus dados e fazer o upload de notas fiscais eletrônicas para comprovar a quantia que estão para receber e solicitar o crédito. “Depois desse processo, em até 55 segundos ele consegue receber a quantia solicitada, que é depositada diretamente na conta cadastrada”, confirma Neumark.

Diferente das taxas fixas praticadas pelos bancos para o adiantamento de recebíveis, a fintech trabalha com uma taxa flexível, que varia para cada uma das empresas que solicitam o crédito, seguindo uma avaliação de risco do próprio negócio e do cliente final. Ainda assim, o número de inadimplentes no serviço tem crescido em alguns Estados. Na liderança do ranking, estão Santa Catarina (10,2%), Minas Gerais (10,1%), Pernambuco (9,7%) e Paraná (9,4%). As empresas pernambucanas, inclusive, são as mais atendidas com a concessão de crédito pela fintech, demandando 14,7% da carteira de crédito nos setores de serviço, instalação de máquinas e equipamentos para fábricas e empresas de tecnologia da informação.

Consultoria

“Pernambuco era um Estado muito negligenciado pelos bancos. Voltamos nossa atuação para o Nordeste e de uma concentração de crédito de 8% em 2014 quase dobramos a nossa carteira até 2018”, explica o CEO da Weel. Para conter ainda mais a inadimplência, a nova estratégia da fintech é atuar como consultoria via próprio aplicativo. “Basicamente estamos implementando um coach financeiro às empresas, para que elas tenham menos prejuízos e usem de forma melhor o crédito. Nos Estados do Sudeste, onde já começamos a oferecer o serviço, a inadimplência já tem sido reduzida. A expectativa é que, em agosto, os pernambucanos já possam também ter acesso à consultoria no app”, assegura Simcha Neumark.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias