PARQUES FEDERAIS

Apesar de críticas de Bolsonaro, taxa federal em Fernando de Noronha aumenta

Cobrança passou de R$ 212 para 222, com direito a até dez dias de acesso à Ilha

JC Online
JC Online
Publicado em 02/10/2019 às 10:36
Notícia
Foto: Arquivo/Agência Brasil
Cobrança passou de R$ 212 para 222, com direito a até dez dias de acesso à Ilha - FOTO: Foto: Arquivo/Agência Brasil
Leitura:

Três meses após o presidente Jair Bolsonaro classificar as taxas cobradas aos visitantes do Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha como "um roubo", o governo federal decidiu reajustar o valor deste, e de outros nove parques federais.

A partir de 1º de novembro de 2019, os turistas estrangeiros terão que desembolsar R$ 222 por dez dias de acesso à Fernando de Noronha. Atualmente, a taxa é de R$ 212.

Já os visitantes brasileiros, passarão a pagar R$ 111, valor que antes era R$106.

A informação foi publicada em portaria do Instituto Chico Mendes de Conservação e Biodiversidade (ICMCB), vinculado ao Ministério do Meio Ambiente.

Além do valor destinado ao governo federal, o governo de Pernambuco ainda cobra R$ 73 por dia de permanência.

"Roubo praticado pelo Governo"

Através de sua rede social, o chefe do estado criticou o valor da cobrança de ingressos para visitar o Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha, realizada desde 2012, e classificou como "roubo praticado pelo Governo Federal".

Em seu comentário feito em julho de 2019, Bolsonaro prometeu rever a cobrança de ingresso e pediu que a população denuncie práticas semelhantes em outros locais.

Visita a Noronha

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, visitou o arquipélago a fim de vistoriar os serviços prestados pela concessionária EcoNoronha, empresa que administra as visitas ao parque marinho. O chefe da pasta disse que serão disponibilizados recursos ainda não definidos pelo governo. "Ele se colocou à disposição para a gente preparar os projetos e levar até ele e acertamos os convênios", afirmou Guilherme Rocha, administrador da Ilha. "O projeto de pavimentação da Ilha (que dá em torno de 15 km) nós já temos e vamos apenas mensurar valores em cima dele", completou.

Ainda de acordo com Rocha, o ministro se dispôs a disponibilizar recursos para a ampliação do sistema de saneamento básico e também do sistema de abastecimento de água da Ilha. "Com isso, o plano é que a gente tenha uma Ilha cem por cento saneada", comentou.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias