Fifa

Blatter: Relatório sobre corrupção na Fifa será divulgado 'da forma apropriada'

Blatter reafirmou, no entanto, que a Fifa não vai voltar atrás na atribuição dos Mundiais à Rússia e ao Catar, depois da renúncia do autor do informe, Michael Garcia

Da AFP
Da AFP
Publicado em 19/12/2014 às 11:58
Foto: MARCELLO CASAL JR / ABr
Blatter reafirmou, no entanto, que a Fifa não vai voltar atrás na atribuição dos Mundiais à Rússia e ao Catar, depois da renúncia do autor do informe, Michael Garcia - FOTO: Foto: MARCELLO CASAL JR / ABr
Leitura:

O relatório Garcia relativo à atribuição das Copas do Mundo de 2018 à Rússia e de 2022 ao Catar será apresentado "da forma apropriada", anunciou nesta sexta-feira o presidente da Fifa, Sepp Blatter, após uma reunião do Comitê Executivo do órgão máximo do futebol mundial, no Marrocos. 

Blatter reafirmou, no entanto, que a Fifa não vai voltar atrás na atribuição dos Mundiais à Rússia e ao Catar, depois da renúncia do autor do informe, Michael Garcia, na quarta-feira, denunciando falta de transparência por parte da instituição.

A expressão "da forma apropriada" leva a crer que a Fifa não vai divulgar o relatório Garcia na íntegra, como seu autor queria.

"Pedi ao Comitê Executivo da Fifa que votasse em favor da publicação do informe da câmara de investigação", declarou Blatter em um comunicado. 

"O Comitê Executivo aceitou por unanimidade um pedido à câmara de julgamento do comitê de ética independente para que divulgue o relatório da forma apropriada, depois que os procedimentos em curso sobre várias pessoas sejam concluídos", acrescentou.

Investigações internas na Fifa estão em andamento contra várias pessoas suspeitas de comportamentos duvidosos na atribuição das Copas do Mundo.

Em novembro, a Fifa apresentou uma denúncia à justiça suíça por suspeitas de "transferências internacionais de patrimônio, tendo a Suíça como ponto de contato", com "diversas pessoas" envolvidas.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias